Na cidade

Já arrancaram as obras da ciclovia entre Braço de Prata e o Parque das Nações

Deverá estar pronta ainda em setembro deste ano. Vai ligar Algés até ao Parque Tejo.
Outra opção para passear.

As obras de construção de um dos troços da nova ciclovia na zona ribeirinha de Lisboa, entre o Braço de Prata e o Parque das Nações. Devem ficar concluídas em setembro, conforme anunciado esta segunda-feira, 8 de julho, pela EMEL. 

Com “extensão superior a um quilómetro”, o projeto irá fazer ligação às outras ciclovias existentes no Parque urbano do Oriente e da Alameda dos Oceanos. O propósito da intervenção é ligar Algés até ao Parque Tejo. Do itinerário faz parte a ponte ciclopedonal no rio Trancão, construída para servir a Jornada Mundial da Juventude. 

Quase um ano depois, surge o novo troço que resulta de um investimento de 13 milhões de euros para aumentar a rede ciclável em 90 quilómetros até 2025. O objetivo é melhorar e interligar as infraestruturas já existentes.

“O nosso objetivo é manter, de alguma forma, nas vias estruturantes, a compatibilização entre a rede rodoviária e a ciclável, mas introduzir alterações muito significativas e que, em grande medida, respondem a vários dos aspetos que são assinalados também na auditoria em termos de segurança”, disse o vice-presidente da autarquia, Filipe Anacoreta Correia, em maio

Assim, os 173 quilómetros atuais passarão a 263, estando também em vista a construção de outras 56 ciclovias. Em causa está o objetivo de “ligar melhor a infraestrutura já construída na cidade”, referiu. Um dos outros propósitos é promover a utilização de bicicletas, para poderem ser cada vez mais usadas como forma de transporte. 

Além desta obra, a EMEL conta com a construção de dois parques de estacionamento — um em Campo de Ourique e outro no Lumiar. O primeiro terá 89 lugares, em três pisos, e deverá ficar concluído em 2025. Já o segundo terá uma capacidade superior de 165 automóveis. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT