Na cidade

A ponte que liga Amarante e Celorico de Basto vai ser o novo fenómeno do Instagram

Já tem quase 100 anos e desde 2022 que a estrutura está a ser reabilitada para melhorar as condições de segurança. A obra deverá estar concluída em junho.
Vai estar pronta no verão.

Quando foi construída, em 1926, a Ponte de Arame de Lourido era tudo menos uma atração turística. Nasceu apenas e só com o intuito de ligar os concelhos de Amarante e Celorico de Basto, nas freguesias de Rebordelo e Arnoia. 

A pitoresca ponte situa-se junto à estação dos caminhos de ferro da extinta Linha do Tâmega, em direção ao rio, e a sua travessia era uma autêntica aventura. De aspeto frágil, era constituída por um piso de madeira apoiado em barretos, também de madeira, pendurados por arames e cabos metálicos amarrados nas margens do rio.

Apesar de não existir registo de nenhum acidente ao longo destes anos, a estrutura está a ser reabilitada desde 2022, com o objetivo de dotá-la das condições de segurança necessárias ao seu funcionamento. As obras avançam agora a bom ritmo e a previsão é que esteja pronta a ser usada no verão — e será também o novo ícone turístico do País, perfeito para servir de cenário às fotos de Instagram. Quem o garante é Cristina Vieira, presidente do conselho da Associação de Municípios do Douro e Tâmega (ADMT), responsável pela obra de reabilitação.

Ambas as margens já estão com trabalhos avançados para a união fortificada e com segurança necessária para o seu futuro funcionamento, pelo que a sua conclusão deverá acontecer no início do mês de junho. “Vai poder ser retomada como ligação entre ambos os municípios e tornar-se um ícone turístico, com uma envolvência paisagística que vai atrair muitos visitantes e amantes da natureza, bem como os que gostam de percorrer a Ecopista do Tâmega”, avança Cristina, citada pelo “Público”.

Quase centenária, os trabalhos efetuados na ponte passaram pela preparação de plataformas de trabalho nas margens direita e esquerda, pelos trabalhos geotécnicos e pela remoção integral dos elementos de madeira existentes no tabuleiro.

A nova ponte vai “contribuir para a dinâmica do turismo de natureza deste território”. A obra resulta de um investimento global de 324 mil euros e trata-se “de um projeto que assume uma grande relevância no contexto Estratégias da Eficiência Coletiva (EEC) PROVERE, uma vez que vem reforçar a aposta da instituição na área do turismo de natureza”.

A nova ponte.

 

Áudio deste artigo

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT