Na cidade

Novos abalos em São Jorge revelam “movimentação de fluídos em profundidade”

Esta constatação confirma a ameaça de erupção. Já foram sentidos 229 abalos desde o início da crise sísmica, a 19 de março.
Há novos avanços.

A ilha de São Jorge, nos Açores, registou dois abalos vulcanotectónicos que manifestam “movimentação de fluídos em profundidade”, de acordo com declarações do Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA) esta quarta-feira, dia 6 de abril. É a primeira vez desde o início da crise sísmica que se assiste ao fenómeno.

De acordo com Fátima Viveiros, responsável do CIVISA, as medidas que foram aplicadas na ilha vão ser mantidas. A zona já estava em alerta vulcânico V4, ou seja, sob ameaça de erupção.

“Isto vem corroborar que estamos no nível V4, que era o que se esperava. Estes sinais vêm corroborar o que é de esperar em sistemas vulcânicos ativos. O que podemos fazer é reconhecer que passaram a existir”, disse em declarações.

No seguimento dos abalos, a vigilância de 24 horas e a constante monitorização durante a noite são as duas das prioridades a manter. Se surgirem mais sismos da mesma natureza, serão reportados.

Desde o dia 19 de março, data de início da crise sísmica, o arquipélago dos Açores já sofreu 27.626 abalos e a população sentiu 229 deles.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT