Na cidade

Acabou: vai deixar de ser possível apanhar um Uber na Madeira

A medida vai ser aplicada a partir de 6 de maio e prende-se com a limitação imposta às viaturas TVDE.

A partir da próxima quinta-feira, 6 de maio, vai deixar de ser possível chamar um motorista Uber para as suas deslocações na Madeira. A plataforma de transportes vai abandonar a Região Autónoma devido à limitação do número de viaturas de TVDE imposta pelo Governo Regional.

“O povo madeirense vai pagar mais caro para ter um pior serviço”, defende o operador e motorista Cristhian Nóbrega, citado pela “Rádio Renascença”. A medida, acredita, afetará em grande parte o setor do turismo, uma vez que os estrangeiros estarão habituados a utilizar este tipo de serviços. Não se pode “ser europeu para umas coisas e para outras não”, aponta ainda.

A nova norma permite apenas 40 viaturas TVDE na Região Autónoma, sendo que cada operador — e há 16 licenciados — só poderá ter um máximo de três viaturas.

“Com a saída da Uber, 60 motoristas vão ficar sem funções diretas e os outros 40 vão continuar a operar, mas com muita dificuldade para conseguir manter a sua faturação”, disse ainda Christhian Nóbrega.

A postura da Uber levou então a empresa a suspender a sua atividade no local “a partir do final do prazo de transição”, defendendo que que “a nova regulamentação regional não permite oferecer um serviço fiável e eficiente a utilizadores e motoristas”.

A empresa termina assim uma atividade que tinha iniciado em 2019, deixando apenas a Bolt a operar no arquipélago.

“A lei foi amplamente discutida, foram feitos vários debates no parlamento regional, bem como auscultadas as entidades e associações ligadas ao setor, tendo apenas merecido o voto contra do PCP, pelo que podemos considerar que o diploma é consensual”, defende-se a Secretaria Regional de Economia, numa nota enviada à Agência Lusa.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT