Na cidade

“Alta ansiedade”: a nova ponte de Arouca — a maior do mundo — já é notícia lá fora

A Reuters e o "The Guardian" destacam a ponte, que ainda nem está aberta a visitas gerais. O buzz já começou.
É monumental.

“A paisagem é tranquila, mas a travessia não é para os fracos. Sustentada por cabos de aço e duas torres maciças de cada lado, ela balança um pouco a cada passo.” A descrição é da Reuters, um dos meios internacionais que já começou a dar destaque à nova ponte suspensa de Arouca, a maior do género em todo o mundo.

A estrutura, junto aos já famosos Passadiços do Paiva, foi uma aposta da autarquia para atrair mais atenção e visitas às riquezas naturais do Geopark Arouca. O desafio parece ter sido ganho, quando a ponte ainda não abriu ao público em geral — essa abertura acontece na segunda-feira, 3 de maio, e até lá apenas os residentes locais a experimentam — mas o buzz criado já é imenso.

“Escondida entre montanhas rochosas cobertas por uma vegetação luxuriante e flores amarelas dentro do Arouca Geopark reconhecido pela UNESCO, a ponte paira 175 metros acima do rio Paiva”, descreve ainda a agência.

Na publicação da notícia no Facebook, são já muitas as partilhas e comentários, de pessoas de todo o mundo a mostrarem interesse na visita e perplexidade pela dimensão e altura da estrutura. Também o britânico “The Guardian” já destacou a nova ponte, publicando um vídeo da mesma, assim como a “BBC”.

Depois de muita expetativa, especulação, alguns adiamentos, um desfile de moda e enorme curiosidade, soube-se esta semana que a nova ponte de Arouca, junto aos Passadiços do Paiva, aquela que diz ser a maior ponte pedonal suspensa do mundo seria formalmente inaugurada já no próximo domingo, 2 de maio, estando aberta aos visitantes na segunda-feira seguinte, dia 3.

O anúncio foi feito na noite de terça-feira, 27 de abril, nas páginas das redes sociais da Câmara Municipal de Arouca e do Arouca Geopark. A 516 Arouca, assim se chama a estrutura, também já tem página própria nas redes e site, onde se explica que todos os interessados em conhecer a ponte e atravessá-la terão de a reservar, sempre, primeiro.

Como a NiT já noticiou, a 516 Arouca surgiu como complemento aqueles que já foram eleitos por várias vezes como a Melhor Atração Turística de Aventura do Mundo nos World Travel Awards (e que entretanto também já reabriram): os Passadiços do Paiva.

Em junho do ano passado, foi adiantado que a maior ponte pedonal suspensa do mundo estava a nascer em Arouca e estaria pronta em breve, bem como conhecidos os primeiros detalhes. A nova ponte é designada de “516 Arouca” por ter uma extensão de 516 metros. A estrutura tem ainda um vão de cerca de 480 metros e fica 175 metros acima do rio Paiva. Está construída junto aos Passadiços, tornando-se certamente uma das principais atrações turísticas do distrito de Aveiro.

Ao atravessar a ponte, pode admirar a magnífica paisagem sobre a Garganta do Paiva e a Cascata das Agueiras, ambos geossítios do território UNESCO Arouca Geopark.

Os residentes em Arouca são os primeiros a estrear a estrutura já desde esta quinta-feira, enquanto os outros visitantes poderão fazê-lo a 3 de maio. O bilhete, que também dá acesso aos Passadiços do Paiva, custa 12 euros, com descontos para jovens e séniores, que pagam 10€. Como se pode ler no site, não é permitido o atravessamento a menores de seis anos, nem se pode levar carrinhos de bebés ou animais.

Os bilhetes têm sempre de ser comprados online e os visitantes com comprovativo de morada em Arouca podem usufruir da experiência a título gratuito, se já tiverem o cartão-residente que por 5€ lhes garante livre-trânsito durante três anos na ponte e nos Passadiços do Paiva.

Para quem ainda não conhece os Passadiços do Paiva, o incrível percurso em Arouca, Aveiro, favorito de tantos portugueses e estrangeiros, reabriu ao público a 5 de abril, com medidas de segurança devido à pandemia, tal como a medição de temperatura.

Conforme se explica no seu site oficial, é também pedida aos visitantes a higienização regular das mãos e aquando da entrada nos Passadiços. Quem ali passa deve ainda fazer-se acompanhar de doseador individual de álcool gel para higienização das mãos ao longo do percurso e cumprir as regras de etiqueta respiratória.

É também pedido a quem faz o percurso que evite apoiar-se nas superfícies sempre que possível, e que use máscara aquando da validação dos bilhetes (entrada e saída dos Passadiços), no acesso aos WC’s e em situações de eventual interação com terceiros. A venda de bilhetes deve ser feita online onde já pode escolher a sua data a reservar.

Os passadiços percorrem 8,7 quilómetros de um troço incrível, num passeio intocado e rodeado de natureza selvagem, na margem esquerda do Rio Paiva, numa zona conhecida como a Garganta do Paiva, concelho de Arouca, distrito de Aveiro.

Ali encontra águas bravas, cristais de quartzo e várias espécies em extinção na Europa. Passa pelas praias fluviais do Areinho e de Espiunca, encontrando-se, entre as duas, a praia do Vau. Passa por pontes suspensas, pequenos lagos de água nas rochas, muitas sombras, a natureza no seu estado mais puro.

Inaugurado em junho de 2015, o caminho não tem tido sempre um percurso fácil: a 11 de agosto de 2016, um incêndio atingiu os Passadiços do Paiva, e destruiu 700 metros. O acontecimento obrigou a encerrar metade do trajeto (de oito quilómetros passou para quatro) e, durante vários meses, os visitantes foram obrigados a ficar pelo caminho. Em setembro de 2015, noutro incêndio, já cerca de 600 metros haviam sido destruídos.

Mas o troço reabriu, os passadiços foram recuperados e têm sido sempre melhorados. Após o primeiro fogo, o projeto sofreu algumas alterações e foram criadas normas mais restritas para os visitantes deste Património Geológico da Humanidade, segundo a UNESCO, recebendo agora a gigante ponte suspensa.

A partida é feita do Areinho – Espiunca, a partir de onde encontra quase nove quilómetros, sempre em frente. O percurso pedonal é feito em estruturas em madeira de pinho, que estão assentes em ferro implantado nas rochas.

O nível de dificuldade é considerado alto, devido sobretudo a acentuados desníveis: há zonas para subir e descer escadas, três troços de terra batida e a duração média é de cerca de 2h30 para cada lado.

Pode fazer todo o ano, este percurso que, além da sua óbvia e incrível beleza natural, ainda passa por vários Geossítios: Garganta do Paiva (G36); Cascata das Aguieiras (G35); Praia Fluvial do Vau (G30); Gola do Salto (G31) e Falha de Espiunca (G32).

O valor de entrada para os Passadiços do Paiva é de 2€ por pessoa. As crianças até aos dez anos não pagam e as pessoas que vivem em Arouca também não, uma vez que têm direito a um cartão de acesso gratuito ao local, sem limite de visitas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT