Na cidade

Apesar das tentativas de salvamento, a baleia da Fonte da Telha morreu no areal

As autoridades previam dificuldades assim que a maré baixasse. Sem água e forma de a levar para alto mar, o cachalote morreu.
As tentativas de salvamento (Foto: Instagram @le_rami)

Foram poucos os que conseguiram ignorar o que se passava no areal da praia da Fonte da Telha, na Costa da Caparica. Uma baleia presa no areal desde esta sexta-feira, 15 de abril, captou a atenção e a preocupação de todos os que por ali passavam.

Foram vários os banhistas que tentaram, pelas suas próprias mãos, empurrar o animal de volta para uma profundidade na qual pudesse nadar em segurança. Mas, conforme previram as autoridades ao longo desta sexta, pouco haveria a fazer.

O animal morreu pelas 21h30, declaram as autoridades à “Lusa”, citada pelo “Observador”. “O animal morreu por volta das 21:30 [sexta-feira] e após essa ocorrência iniciaram-se aqui os procedimentos de remoção da carcaça, sob coordenação da Câmara Municipal de Almada”, esclareceu Diogo Vieira Branco, o capitão do Porto de Lisboa.

O cetáceo com cerca de 15 metros de comprimento já estava a ser vigiado desde cedo, durante esta sexta-feira. De acordo com o Instituto para a Conservação da Natureza e das Florestas, o animal “terá sofrido um abalroamento por uma embarcação grande e quando isso acontece, normalmente, os animais acabam por morrer – ou morrem logo pelo impacto ou, se não morrem nos instantes seguintes ao impacto, acabam por morrer mais tarde e foi o que aconteceu a este cachalote”.

(Foto: Instagram @le_rami)

Apesar da indignação de muitos dos banhistas pela aparente falta de intervenção das autoridade, sabe-se agora que a Polícia Marítima terá tentado intervir, desde logo, antes do animal chegar sequer perto da praia.

Os vídeos e imagens do incidente começaram rapidamente a ser partilhados nas redes sociais. A tarefa de o reencaminhar para águas mais profundas já havia sido tentada, explicou a meio do dia o capitão do Porto de Lisboa, que sublinhou que “não foi possível” completar a missão com sucesso.

Previa-se então que a descida da maré tornaria tudo inevitável. Se com água, era quase impossível mover as 15 toneladas de peso do animal, isso seria completamente inviável a partir do momento em que a maré baixasse.

Foi o que aconteceu ao final da tarde, com o animal em visível sofrimento e a morrer lentamente no areal já seco. À sua volta, dezenas de populares iam registando o acontecimento. A baleia acabaria por morrer ao início da noite. Os trabalhos de remoção já estão em andamento.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT