Na cidade

Apesar dos preços altos, as casas desaparecem do mercado em menos de 24 horas

As habitações com rendas inferiores a 750€ mensais ficam disponíveis por poucas horas.
Desaparecerem num instante.

O fenómeno é conhecido como arrendamento expresso. A procura é muita, a oferta é pouca, e as casas que estão para arrendar no mercado residencial português desaparecem num instante. Em menos de 24 horas, para ser mais preciso.

Em fevereiro, cerca de 30 por cento das casas arrendadas estiveram menos de uma semana no mercado português. Atualmente, ficam ainda menos tempo: cerca de 19 por cento das habitações arrendadas através do Idealista desapareceram em menos de um dia no mês de outubro.

Este arrendamento expresso acontece sobretudo com os anúncios com valores mais baixos. Segundo um estudo do portal imobiliário, 28 por cento das habitações com rendas inferiores a 750€ por mês são as que desaparecem em menos de 24 horas. 

Os dados mostram ainda que a percentagem vai diminuindo à medida que os valores aumentam: cerca de 22 por cento das casas que custam entre 750€ e 1000€ mensais foram arrendadas em menos de dia; 11 por cento tinham rendas entre 1000€ e 15000€ por mês; e outros 11 por cento custavam mais de 1500€.

Braga foi a capital de distrito onde a percentagem de habitações arrendadas em menos de 24 horas foi mais alta. Seguem-se Lisboa, Coimbra, Setúbal, Aveiro, Porto e Faro.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT