Na cidade

Arco-íris gigante de Braga que iluminava a esperança contra a pandemia foi desligado

No dia em que o País avançou para a terceira fase de desconfinamento, a autarquia tomou a decisão. Esteve 543 dias ligado.
Imagem partilhada no Instagram.

É mais um momento simbólico naquele que se espera ser este novo passo de regresso à normalidade. No dia em que Portugal avançou para a terceira fase de desconfinamento, esta sexta-feira, 1 de outubro, a Câmara Municipal de Braga desligou as luzes do arco-íris gigante localizado no Monte Picoto a sul da cidade. 

Segundo o jornal regional “O Minho“, foram no total 543 dias a tentar trazer esperança em melhores dias para as populações da região. A decisão, justificou o presidente da autarquia, Ricardo Rio, nas suas redes sociais, foi por isso também simbólica agora: “No dia que marca a entrada de Portugal na última fase de desconfinamento, Braga apaga a luz que nos iluminou no último ano e meio”, escreveu.

E acrescentou: “Se não ficou tudo bem, não é menos verdade que voltamos a encarar o presente e o futuro com o otimismo e a determinação que nos caracterizam e que nos permitiram, e permitirão, ser tudo que possamos sonhar”.

As luzes foram ligadas a 6 de abril de 2020, quando o norte do País era o grande foco da pandemia em Portugal e o arco-íris foi adotado internacionalmente como um símbolo de esperança e resiliência, no meio do período mais escuro e incerto trazido pela Covid-19. 

Entretanto, no Monte do Picoto tornou-se num local de romaria e de fotografias, pelo valor simbólico e pelo incrível efeito luminoso criado.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT