Na cidade

Autoridade da Mobilidade admite que tem havido sobrelotação nos transportes públicos

A partir desta quarta-feira, 1 de julho, a Área Metropolitana de Lisboa tem mais cerca de quatro mil circulações rodoviárias.
Reforço já começou.

A partir desta quarta-feira, 1 de julho, a Área Metropolitana de Lisboa passa a contar com mais cerca de quatro mil circulações rodoviárias, face à oferta registada em junho.

Num comunicado citado pela Lusa a AML garante que oferta de transporte público rodoviário de passageiros na região metropolitana de Lisboa foi reforçada para uma capacidade de 90% relativamente à existente no período pré-pandémico, “o que se traduz, em termos concretos, num crescimento de cerca de 4.000 circulações por dia, face à oferta registada em junho”.

Barraqueiro (Boa Viagem e Mafrense), JJ Santo António, Isidoro Duarte e Henrique Leonardo Mota, Rodoviária de Lisboa, Scotturb, Vimeca/Lisboa Transportes e TST – Transportes Sul do Tejo, são algumas das operadoras com um reforço global do serviço.

Esta quarta-feira, a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) admitiu que tem havido sobrelotação nos transportes públicos de passageiros do País, com a passagem do estado de emergência para o de calamidade, devido à “avalanche” de utilizadores. Segundo aquele responsável, a AMT, que regula e fiscaliza do setor dos transportes em Portugal, recebeu 400 reclamações relativamente ao transporte público de passageiros, entre o estado de emergência e o de calamidade, não só referentes a sobrelotação, mas também sobre questões de segurança e higiene.

Já a ministra da Saúde, Marta Temido, garantiu que os novos casos de coronavírus das últimas semanas em Lisboa não estão relacionados com os transportes públicos de e para a capital.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT