Na cidade

As dormidas em Sintra ficam mais caras em julho — a taxa turística está de volta

Irá reverter para o "crescimento sustentável do turismo, qualidade ambiental e manutenção do património cultural do município".
Custa 1 euro por noite.

A pandemia de Covid-19 levou à suspensão, em novembro de 2020, da taxa municipal turística de dormida que se cobrava em Sintra desde março de 2019. Esta prepara-se, contudo, para voltar, segundo divulgou a autarquia do distrito de Lisboa esta quarta-feira, 22 de junho.

A revogação da isenção, que tem o valor de 1 euro por noite e entra em vigor a 1 de julho, “teve como fundamento o atual cenário de recuperação económica do turismo, com significativo aumento do número de turistas no concelho e na vila de Sintra”, explica Basílio Horta, presidente da Câmara, em comunicado citado pelo “Sapo”.

O valor arrecadado irá reverter para o “crescimento sustentável do turismo, qualidade ambiental e manutenção do património cultural do município”, lê-se no documento. O imposto será cobrado pelos empreendimentos turísticos e estabelecimentos de alojamento local aos seus hóspedes com estadia máxima de três noites seguidas.

Em 2023, também os Açores vão passar a impor uma taxa aos visitantes. O decreto que regulamenta a sua aplicação, publicado na terça-feira, 21 de junho, em Diário da República, determina a cobrança de um euro por dormida aos hóspedes “sem domicílio fiscal na Região Autónoma dos Açores”, com 14 ou mais anos, que se instalem em “empreendimentos turísticos, estabelecimentos de alojamento local, parques de campismo ou parques de caravanismo”.

Já os passageiros com idade igual ou superior a 14 anos que desembarquem “de navio de cruzeiro ou embarcações de recreio em escala nos terminais da região” pagam uma taxa de chegada por via marítima de 2 euros. Se as duas modalidades se acumularem, será apenas cobrada esta segunda.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT