Na cidade

Até ao final do ano Portugal vai estar a viver em “crédito ambiental”

Associação Zero alerta que o ano ainda não vai a meio e já estamos a consumir recursos para lá do sustentável.
Alerta é da Associação Zero.

Está a acontecer “cada vez mais cedo”. É este o alerta que a associação ambiental Zero deixa a Portugal e aos portugueses. A partir desta quinta-feira, 13 de maio, o País já está a viver no chamado “crédito ambiental”.

Na prática, isto significa que já estamos a consumir recursos naturais acima do que seria aconselhado em termos de sustentabilidade. A partir de hoje, escreve a Zero no seu site, será “necessário começar a usar recursos naturais que só deveriam ser utilizados a partir de 1 de janeiro de 2022”.

Apesar de a pandemia ter diminuído durante durante boa parte do ano as deslocações dos portugueses, “os cálculos têm em conta dados de vários anos, pelo que não espelham de forma clara as implicações da pandemia na pegada ecológica de Portugal”, explica a associação.

“Ainda assim”, acrescenta, “na ausência de alterações estruturais, não é expectável que a pandemia venha a ter um reflexo duradouro na pegada ecológica do nosso país. Este ano o País chega ao crédito ambiental treze dias mais do que no passado. “Se cada pessoa no Planeta vivesse como uma pessoa média portuguesa, a humanidade exigiria mais de 2 planetas para sustentar as suas necessidades de recursos”, alerta-se.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT