Na cidade

Barcelos vai criar 5 parques fluviais (e um ecoparque) nas margens do rio Cávado

A autarquia aprovou o chamado “MasterPlan”, que pretende criar uma ligação mais próxima entre as pessoas e o rio.
Já foram aprovados.

Já há muito que existem locais de acesso pedonal e percursos naturais dotados de uma beleza singular nas margens do rio Cávado, que divide o concelho de Barcelos sensivelmente a meio. Além disso, é procurado para a prática de desportos náuticos, como a canoagem e o remo — mas em breve as pessoas terão uma ligação ainda mais próxima com o local.

Tudo porque a Câmara Municipal de Barcelos aprovou esta segunda-feira, 19 de fevereiro, o “MasterPlan” do corredor do rio Cávado, que prevê a criação de cinco parques fluviais e um ecoparque. Este é um “passo decisivo para ligar as pessoas ao rio, um passo importantíssimo na concretização de um projeto que se pretende potenciar de atratividade ao desporto, lazer, recreio e convívio ao ar livre, em comunhão e fruição das pessoas com a natureza”, sublinhou o presidente da autarquia, Mário Constantino Lopes.

Ainda não foram adiantadas datas de conclusão, mas nos próximos tempos serão criador o Parque Fluvial de Mariz, o Parque Fluvial de Barcelos e Barcelinhos, o Parque Fluvial de Tamel São Veríssimo, o Parque Fluvial de Manhente e o Parque Fluvial de Areias de Vilar.

O de Barcelinhos vai nascer na margem esquerda e será mais destinado ao desporto. “A proximidade a Barcelos e Barcelinhos, a passagem da ecovia, o banco de areia que se deposita nesta margem e a topografia criam condições propícias para a instalação de espaços que assegurem a prática desportiva em meio terrestre e aquático e em situação de espaço público”, adianta a autarquia.

Assim, estão previstos balneários de caráter não permanente, campos desportivos e percursos permeáveis, como campos de futebol, râguebi e ténis. Será ainda instalado um ginásio exterior e parque infantil, de modo a criar-se um parque público para todas as faixas etárias.

Já no que diz respeito ao Parque Fluvial de Tamel São Veríssimo, sabe-se que terá uma extensão de cerca de 1,5 quilómetros, entre a ilha do Tostão e a Azenha de Tamel. O de Manhente vai sofrer obras de requalificação que permitirá receber os visitantes em áreas devidamente preparadas e controladas, com delimitação de acessos e aparcamentos, colocação de sanitários de apoio e a requalificação do mobiliário urbano. 

Junto da Barragem da Penide vai nascer o Parque Fluvial de Areias, que compreenderá espaços arborizados que possam ser usados por um elevado número de pessoas, preferencialmente durante o verão. O espaço terá ainda parqueamento automóvel, sanitários públicos, espaço de refeições e percursos para caminhar dos dois lados da barragem.

Além dos parques fluviais, a proposta do “MarterPlan”, que abrange uma área de 742 hectares, prevê a criação de um percurso de passadiço de 22 quilómetros na margem direita e uma ecovia de 24 quilómetros no lado esquerdo. Os percursos destinados à mobilidade suave e trilhos entre margens terão, portanto, uma extensão de cerca de 49 quilómetros e estarão interligados entre si através de açudes e pontes.

Todas estas propostas pretendem promover “o turismo sustentável de recreio e lazer, atendendo a todas as classes etárias e estratos sociais, pela prática de vários desportos, nos espaços de uso público, capazes de atrair um elevado número de pessoas.” O “MasterPlan”, com assinatura do arquiteto Vítor Mogadouro e da arquiteta paisagista Laura Roldão Costa, resultou de um trabalho técnico interdisciplinar acompanhado pelo executivo camarário e por técnicos municipais.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT