Na cidade

Camp In: mais de 350 voluntários vão recuperar casas durante o verão

Este projeto da associação Just a Change pretende reabilitar mais de meia centena de espaços em pobreza habitacional.
Esta iniciativa vai decorrer entre julho e agosto.

A associação Just a Change, que se dedica a reabilitar casas em situações precárias, volta a unir esforços para dar uma nova vida a vários lares em Portugal. Todos os anos, centenas de voluntários arregaçam as mangas e transformam espaços para outras pessoas terem melhores condições habitacionais. Na verdade, desde 2010 já reabilitaram mais de 220 casas e 65 instituições, com impacto em mais de 4700 pessoas, em diferentes recantos do País.

Segundo dados desta organização, mais de 60 mil portugueses vivem sem água canalizada nem saneamento e mais de 30 mil não têm eletricidade em casa. Por isso, é que o projeto Camp In vai embarcar na sua sétima edição e criar onze campos de verão, entre julho e agosto, para recuperar mais de cinquenta casas particulares, onde habitam cerca de cem pessoas no total.

As inscrições abriram em maio e como se candidataram centenas de jovens, rapidamente ficaram completas. Esta iniciativa vai ter lugar em vários concelhos de Portugal, contando não só com a ajuda de voluntários, mas também com o apoio de Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia, de empresas de construção e fornecedores locais, de empresas parceiras e das várias comunidades de cada região.

Os onze campos de verão deste ano vão ocorrer nas seguintes datas e locais: Óbidos, de 4 a 18 de julho; Sever de Vouga, 4 a 18 de julho; Faro, 11 a 25 de julho; Loulé, 11 a 25 de julho; Sever do Vouga (segundo projeto), 25 de julho a 8 de agosto; Alandroal, 25 de julho a 8 de agosto; Portimão, 1 a 15 de agosto; Lagoa, 1 a 15 de agosto; Vila Pouca de Aguiar, 15 a 29 de agosto; Tondela, 15 a 29 de agosto; e Torres Vedras, 12 a 26 de setembro.

O processo de recuperação e reabilitação passa essencialmente pela construção de telhados integrais, casas-de-banho de raiz e instalação de sistemas de água quente. Além da melhoria das condições habitacionais, as obras vão passar ainda pela instalação de painéis fotovoltaicos, não só para uma maior eficiência energética, como para garantir conforto aos habitantes. 

De acordo com a associação, mobilizar jovens como voluntários traz um novo alento a zonas do país com uma população predominantemente idosa e assegura uma enorme preocupação e fortes laços de amizade com quem estão a ajudar. Também o apoio da comunidade envolvente facilita a utilização de recursos locais e potencia uma maior ligação e proximidade. 

Algo inovador deste projeto é a integração da pessoa e/ou da família no processo de recuperação da habitação. Este envolvimento traz consigo esperança e alegria, já que segundo a organização: “reabilitar uma casa é uma oportunidade para a reconstrução de uma vida”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT