Na cidade

Cascais vai abastecer os seus autocarros com resíduos domésticos

O lixo deixará ir para o aterro e hidrogénio produzido com os resíduos será utilizado como combustível para os autocarros.
Cascais.

Do lixo ao hidrogénio: a transformação e a concretização podem afinal ser mais simples do que se imaginava. Trata-se de um projeto inovador e que justifica a aposta, quando se trata de preservar o ambiente e de salvaguardar o futuro. 

A Câmara de Cascais anunciou, no final da passada semana, que vai tomar uma “posição pioneira” no desenvolvimento da era do hidrogénio: vai ter um sistema capaz de transformar 50 toneladas de lixo doméstico em cinco toneladas de hidrogénio por ano.

Segundo explica a autarquia na sua página, na prática, o lixo deixará de ir para aterro e o hidrogénio daí produzido será utilizado no abastecimento de autocarros municipais e veículos da recolha de resíduos, reduzindo totalmente as emissões do processo de tratamento do mesmo.

A iniciativa arrancou oficialmente no passado dia 8 de novembro, com a assinatura de um protocolo com as empresas portuguesas Floating Particle e IPIAC.

A “magia” acontece num equipamento chamado Stella (no fundo uma unidade de produção, semelhante a o um reator), que apenas precisa de utilizar resíduos domésticos, ar e uma pequena quantidade de água, sendo autossuficiente em termos energéticos. “Todo o processo de produção é eco-friendly, eliminando problemas como os dos alcatrões e sem emitir para a atmosfera qualquer gás nocivo”, adianta a autarquia.

Ao investir nesta tecnologia, a autarquia de Cascais defender estar a contribuir localmente para resolver dois dos problemas ambientais mais urgentes a nível global: a gestão dos lixos domésticos recolhidos, eliminando custos de transporte e o recurso a aterros sanitários, e a utilização de energias fósseis, que são altamente poluentes e cada vez mais caras.

Segundo anunciou em agosto o município, a vila já tem também em circulação aquele que diz ser o primeiro autocarro a hidrogénio em Portugal. O M43 faz a ligação entre Cascais e o Guincho, operada por veículos que reduzem significativamente o impacto ambiental.

Aqui, além da vertente ambiental do próprio autocarro, o percurso desta nova linha privilegia a paisagem, o interesse histórico e arquitetónico e ainda o desporto e o lazer. Por isso, todas as viaturas são acessíveis a pessoas com mobilidade reduzida e estão equipadas para o transporte de bicicletas e pranchas de surf.

Além disso, o M43 é gratuito para residentes, trabalhadores e estudantes portadores de um cartão Viver Cascais. Pode os ver percursos e horários do autocarro numa página especial da autarquia.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT