na cidade

Concurso para comprar novos barcos para atravessar o Tejo arranca em janeiro

Comissão de utentes avisa que se a supressão de barcos continuar, poderão surgir novos protestos.
Governo promete novos barcos nos próximos anos.

Depois de um dia crítico devido à situação recorrente de supressão de barcos da Transtejo, com uma invasão de um barco no Seixal a impedir a sua saída durante quase duas horas nesta terça-feira, 11 de dezembro, o governo anunciou que vai lançar o concurso para a compra de mais navios já em janeiro.

Segundo a Lusa, citada pelo “Notícias ao Minuto”, durante o debate quinzenal do Governo na Assembleia da República, o primeiro-ministro garantiu que o concurso para a Soflusa e para a Transtejo será aberto no primeiro mês do próximo ano. “Mas, mais importante do que isso, já foram investidos 18 milhões de euros para fazer a reparação integral de todos os navios, porque todos eles precisavam de maior ou menor dimensão”, adiantou António Costa.

Em abril, o ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, anunciou no parlamento que iria ser lançado até ao final do verão um concurso para a aquisição de 10 novos navios para reforço da frota da Transtejo — o mesmo concurso que, aparentemente, será lançado agora.

Matos Fernandes explicou que a compra destes 10 novos navios, que deverão estar disponíveis até 2022, representa um investimento de 50 milhões de euros, dos quais 15 serão de fundos comunitários.

Segundo a “Rádio Renascença”, o corte de barcos na ligação fluvial entre o Seixal e Lisboa, que aconteceu na terça-feira motivando a tentativa forçada de entrada de vários utentes no barco seguinte ao suprimido, deve repetir-se esta quarta-feira por falta de navios, estando um a ser reparado. O aviso veio da comissão de utentes, que antecipa novos protestos caso a situação se mantenha.

Também a Câmara do Seixal considera, na sua página do Facebook, que “não é aceitável que continuem a ser diariamente suprimidas carreiras, prejudicando as populações”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT