« Escaroupim: a histórica aldeia a uma hora de Lisboa que corre o risco de desaparecer

Margens do Rio Tejo

A desenhar as margens do rio, que banha a aldeia do Escaroupim, veem-se atualmente algumas embarcações típicas dos antigos avieiros. Nelas pescava-se noite adentro num Tejo rico em pescado. Assim que se lançava a rede, lá ficava preso uma vezes o Sável, outras vezes a Enguia: duas espécies autóctones da região. No entanto, a paisagem do rio é também marcada pelas embarcações turísticas que fazem diariamente cruzeiros ao longo da bacia hidrográfica.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT