Na cidade

Escorregas, piscinas e tornados. Fomos conhecer o parque aquático indoor do Aquashow

O humorista e cronista da NiT, Miguel Lambertini, passou uns dias frenéticos com a família no Algarve. Em pleno inverno.
Foi uma aventura.

Algarve. Janeiro de 2024. Nove graus de temperatura. “Bifes” a passear de calções como se fosse verão. Onde sair com os miúdos para não ter de ficar enfiado em casa e dar em doido? A resposta é simples: vamos a um parque aquático. No inverno, Miguel? Sim, no inverno. Mas o leitor já sabe porquê, uma vez que provavelmente leu o título desta crónica, por isso vamos parar com isto.

Sou grande fã de escorregas de água, mas não tenho muita paciência para ficar à espera em filas. É por isso que o Aquashow Indoor, em Quarteira, no Algarve, é a opção perfeita para quem procura diversão aquática durante todo o ano, sem se preocupar com enchentes. Com uma vasta gama de atrações, piscinas e escorregas, é o primeiro parque aquático coberto na Península Ibérica.

A temperatura ambiente está próxima dos 32 graus, por isso, deixámos o frio lá fora e depois de uma passagem rápida pelos balneários para vestir os fatos de banho, seguimos à descoberta dos diferentes espaços deste parque indoor. São mais de 10 atrações, com destaque para os cinco escorregas — que, posso atestar, são bem divertidos, cada um à sua maneira.

Optámos por começar pelo escorrega que aparentava ser mais tranquilo e, aos poucos, fomos aumentando o nível de adrenalina. O Hidrotubo é um escorrega que parte do primeiro patamar da torre e para o qual não é necessário usar nenhum tipo de equipamento, como boias ou tapetes. Não tem restrições de idade, mas é preciso ter mais de 1m10 de altura.

A minha “mai nova” tem cinco anos e estava no limite permitido, mas a ideia de se enfiar num tubo fechado que ia desembocar sabe-se lá onde, não a atraiu muito. Ainda tentei convencê-la com o argumento de que seria como saltar para dentro de um arco-íris, mas ela abanou a cabeça como quem diz: “boa tentativa, pai.” Por isso, quem acabou por andar em todos os escorregas foi o mais velho, embora eu ainda tenha conseguido descer com ele em duas das atrações, por obra e graça de uma jovem salva-vidas muito simpática que se ofereceu para entreter a minha filha enquanto eu descia.

Começámos pelo Hidrorace, um conjunto de dois escorregas de nível de dificuldade elevado. Embora os escorregas façam um percurso diferente, as entradas estão colocadas lado a lado e o objetivo é fazer uma “corrida”, utilizando os tapetes de descida. É uma viagem rápida e divertida, mas a verdadeira emoção estava guardada para uma das maiores atrações deste parque Indoor: o Tornado.

Este é um escorrega gigante (vê-se do lado de fora do edifício) e tem início na zona mais alta da torre, a 26 metros de altura. A descida é feita numa boia com capacidade para até quatro pessoas. Sentámo-nos os dois, o meu filho benzeu-se enquanto ouvíamos ao fundo os risos e berros do grupo anterior e lá fomos nós para o meio do tornado, acompanhados por uma mistura de sons e luzes que aumentam o impacto da experiência.

A boia desce bem rápido. Entre curvas e saltos, nem dá para perceber em que ponto da “máquina de lavar” nos encontramos. Depois de terminada a centrifugação, quando achávamos que já não havia mais emoções fortes, no final do trajeto entramos num cone, com diâmetro de 16 metros, que nos suga numa sensação de queda livre que é a melhor parte desta brincadeira.

Como, passado algum tempo, a minha filha já estava farta de ficar só a ver o irmão aparecer todo sorridente e despenteado no final de cada tubo, rumámos ao piso inferior, onde há todo um mundo de piscinas e divertimento garantido para os visitantes mais pequenos. Aqui há piscinas de relaxamento em família, jacuzzis, escorregas aquáticos infantis, uma piscina infantil e outra para bebés, jatos de água, cascatas, uma piscina de aventura com uma parede de escalada e uma piscina de ondas.

Além disto tudo, os mais aventureiros podem experimentar o “Desafio do Céu”. O nome faz lembrar um dos obstáculos do American Ninja Warrior e não é por acaso. Neste circuito, ao estilo arborismo, o objetivo é caminhar num percurso em altura ultrapassando diversos desafios, tais como degraus de madeira oscilantes, cordas ou esferas. Apesar de ser garantida a máxima segurança, uma vez que o utilizador está seguro por um arnês num carril contínuo, este é um percurso cheio de adrenalina e ótimo para quem tem medo das alturas, como eu.

No último piso há ainda o espaço Playground, o local ideal para os miúdos se divertirem entre escorregas, labirintos, piscinas de bolas e muito mais, que foi onde terminámos a nossa visita, já depois dos banhos tomados (não se pode entrar neste espaço com fato de banho ou roupa molhada). Claro que eles brincaram tanto aqui que quando chegámos a casa tiveram de voltar a tomar banho, mas lá que dormiram que nem uns anjinhos, lá isso dormiram.

O Aquashow Indoor, em Quarteira, é sem dúvida um destino, no Algarve, que vale a pena visitar. Está aberto todos os dias das 10 às 18h30, com entrada gratuita para crianças até aos 2 anos de idade. Os preços variam entre os 30€ e os 39€, para visitantes dos 13 aos 64 anos, e entre os 20€ e os 29€, para os mais novos (dos 6 aos 12 anos) e os séniores (com mais de 65), dependendo do tempo que vão passar no parque.

As reservas podem ser feitas diretamente no site do Aquashow Indoor.

Carregue na galeria para conhecer as atrações que o esperam no maior parque aquático coberto da Península Ibérica.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT