Na cidade

Este fotógrafo faz retratos de cães como se fossem pessoas para ajudar a adoção

O fotógrafo profissional criou o projeto "Be my friend" onde trabalha como voluntário.
O objetivo é a adoção dos animais.

João Azevedo tem 45 anos e é fotógrafo profissional. Apesar de ter começado a sua carreira na área da informática, no verão do ano passado teve uma ideia e criou o projeto “Be my friend”, para o qual trabalha em regime de voluntariado.

O conceito é simples: fotografar cães com o intuito de ajudar a que estes sejam adotados. Para isso, João Azevedo faz retratos dos animais, por vezes com recurso a adereços. O objetivo é que as pessoas que vêem as suas fotografias tenham vontade de os adotar.

“Já fotografei em dez locais diferentes: Refúgio do Ruff, Canil Municipal de Coimbra, O Corvo – Associação Protectora dos Animais de Miranda do Corvo, Sourepatas, Associação Quatro Patas e Focinhos, Movimento de Protecção às Matilhas de Coimbra, Condeixa Pa’Tudos, APAT Tomar, APA Torres Vedras, e CROAM – Centro de recolha de animais de Matosinhos”, conta à NiT o fotógrafo que tem um estúdio em Coimbra.

As fotografias são publicadas numa página no Instagram que já conta com mais de 25.000 seguidores. Tudo começou em Coimbra, mas  João já fotografou em Tomar, Torres Vedras e Matosinhos. Peniche, Setúbal e Lisboa já têm visitas planeadas.

“É em regime de voluntariado. O único custo que pode ter para as Associações é a deslocação. Tenho sido contactado por muitas Associações de outras zonas do país e enquanto não tiver algum tipo de patrocínio, é a única maneira de conseguir ir”, explica.

João Azevedo já fotografou 321 cães até agora, o que para si são “tantos e tão poucos”. Desses, 62 foram adotados. Apesar de o fotógrafo não conseguir precisar quantos foram adotados realmente por causa das fotografias sabe que foram bastantes: “costumo receber mensagens de quem adotou, a agradecer a fotografia que viram, e que os fez levar para casa um patudo. Chegam a enviar-me fotografias do animal já no novo lar. É aí que fico mesmo satisfeito por ter criado este projeto”.

Fotografar animais não é fácil, e o maior desafio é “conseguir a colaboração deles”. Para isso, João recorre à ajuda dos voluntários das associações, e tem alguns truques como “biscoitos e barulhinhos”. Tudo para conseguir a melhor fotografia.

Entretanto, carregue na galeria para conhecer alguns destes patudos fotografados por João Azevedo.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT