Na cidade

Este trilho imerso na natureza e junto ao rio leva-nos até ao fim de Portugal

O percurso ainda é desconhecido por muitos, mas merece a sua atenção. Tem aproximadamente seis quilómetros e nove etapas.
O Percurso junto ao Rio Minho.

A descrição surge no “The Guardian”, num roteiro de lugares imperdíveis em Portugal publicado em maio — quando, ironicamente, tinha acabado de ser anunciada a possibilidade de o nosso País entrar na Lista Verde de destinos do Reino Unido, da qual acabou de sair.

Certo é que, na lista de dez destinos a visitar sem falta no nosso País, surgia um que seria talvez mais inesperado — o próprio jornal o admitia, ao referir “uma parte menos conhecida de Portugal, perto da fronteira norte com a Espanha”. Menos esperado, porém não menos incrível: assim é, escrevia-se, a região Melgaço, junto ao Rio Minho.

“Uma zona fantástica, com autocaravanas e bicicletas”, explicava o repórter que por lá passara uns anos antes. “A partir do parque de campismo Termas de Melgaço, percorremos quatro milhas [cerca de seis quilómetros] até à vila de Melgaço por um trilho junto ao rio Minho. Em Melgaço, almoçámos na Adega Sabino, de gestão familiar. Um mergulho nos banhos minerais ornamentados adjacentes ao acampamento foi perfeito depois de um dia explorando. No dia seguinte visitámos Monção, a oeste, onde pedalámos ao longo de uma antiga linha ferroviária, hoje Ecopista Minho, e demos um mergulho no rio antes de conduzir até ao nosso próximo acampamento em Covas. Esta provou ser uma excelente base para caminhadas e natação selvagem. O jantar no café do parque de campismo foi servido com aquilo que o proprietário do parque de campismo chamou de ‘Papa dos vinhos verdes´, o vinho Alvarinho local”, concluía a descrição.

Melgaço é uma região fronteiriça do norte de Portugal, com águas termais e atividades para todos os gostos. Aproveitando a dica do jornal “The Guardian” e procurando relançar a economia local, a autarquia e entidades locais querem relembrar aos portugueses os mundos que conseguem desvendar na região mais sossegada do nosso País.

A autarquia começa por referir dados do Instituto Nacional de Estatística, segundo os quais setor do turismo foi um dos mais afetados pela pandemia no ano de 2020, tendo alcançado uma redução de 67 por cento das suas receitas. “Esta crise afetou especialmente pequenas regiões, como a vila de Melgaço, que encerrou as suas termas devido à ausência de turistas”, explica fonte da mesma à NiT.

No entanto, com o fim do confinamento e com o intuito de revitalizar o turismo e a economia da região, as Termas de Melgaço reabriram no passado dia 1 de junho e pretendem “atrair visitantes, nacionais e internacionais, até ao município mais setentrional de Portugal”.

Mas o município raiano não se extingue nas suas termas: “tem atividades diversas de interesse como a degustação do vinho Alvarinho, prática de rafting, exploração de trilhos, visita ao castelo de Castro Laboreiro, entre outros”, adianta a mesma fonte. E destaca precisamente o percurso que o jornal britânico ressalvara: o Trilho dos Percursos Marginais do Rio Mouro, conhecido pelas suas paisagens.

Segundo fonte da autarquia, o percurso em questão, desconhecido para muitos, tem aproximadamente seis quilómetros e nove etapas. O início faz-se no centro da Vila e seguindo em direção ao Centro de Estágios do Monte Prado.

O trajeto faz-se sempre junto ao Rio Minho e os vinhedos de alvarinho. O passeio termina na localidade de Peso, onde estão localizados o Parque e as Termas de Melgaço.

Pelo caminho, é possível apreciar a beleza da região num contacto direto com a natureza. Para quem está na região, há muito mais para ver durante a visita: no Centro Histórico da Vila, pode conhecer ruínas arqueológicas, contemplar o castelo, degustar o vinho alvarinho ou percorrer o Museu do Cinema Jean Loup Passek.

Pode também realizar passeios pelas quintas dos produtores de vinho alvarinho e realizadas degustações destes. Os queijos, enchidos, mel e bagaço também são produtos regionais e de degustação obrigatória, enquanto o vinho Alvarinho é uma das bebidas mais emblemáticas da região e é produzido com castas locais.

Além disto, Melgaço é considerado o destino de natureza mais radical de Portugal, pelo que numa visita à região é quase que obrigatório experimentar uma das várias atividades radicais que por lá podem ser experienciadas: arborismo, slide, canyoning, rafting, hidrospeed, rappel, salto pendular, entre outras.

De seguida, carregue na galeria para espreitar este trilho no Minho e conhecer um pouco mais da região onde ainda se encontra a aldeia mais setentrional do País: Cevide.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT