Na cidade

Estudo revela que pandemia foi desastrosa para as relações dos casais em Portugal

A procura por aconselhamento matrimonial aumentou 286 por cento e 26 por cento dos portugueses terão pensado em divorciar-se.
Confinamento piorou a vida dos casais

O ano de 2020 — e mesmo o pouco que já vimos deste novo ano — foi de muita incerteza para todos. A pandemia mundial trouxe desafios à saúde e sobrevivência mas também afetou áreas como o emprego e desemprego e até mesmo a convivência familiar.

Com a necessidade de ficar em confinamento vieram também desafios como a gestão do espaço doméstico, a necessidade ou não de alterar a casa, a gestão do teletrabalho ou das aulas à distância. Isto também acabou por trazer algum desgaste às relações com as pessoas mais próximas, especialmente entre os casais.

De acordo com um estudo divulgado pela plataforma de contratação de serviços Fixando, a procura por aconselhamento matrimonial aumentou 286 por cento face aos dados de 2019. Ao mesmo tempo, 26 por cento dos 8.300 inquiridos consideraram pedir o divórcio, sendo que para 38 por cento das pessoas os confinamentos tiveram um grande impacto negativo na relação. No limite, três por cento dos inquiridos ponderaram mesmo contratar um detetive privado para seguir o parceiro.

Numa altura em que nos aproximamos também do Dia dos Namorados, o estudo revela também que 56 por cento dos inquiridos não pensa em celebrá-lo este ano e que apenas 11 por cento estará a preparar um programa especial ou um presente para este dia. Dentro destes, a média de gastos estará no 36€, um valor mais baixo do que os 57€ de 2020.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT