Na cidade

Governo fez vistorias a casas sobrelotadas de Odemira (e explica requisição do Zmar)

Segundo o "Público", a PJ abriu investigação a alegados crimes ligados a auxílio à imigração ilegal, tráfico de pessoas e escravatura.
A polémica continua.

Com a cerca sanitária em duas freguesias de Odemira a revelar problemas há muito latentes, a situação continua complicada na costa alentejana. Segundo o governo, mais de 50 alojamentos para trabalhadores rurais do concelho de Odemira já foram alvo de vistoria das autoridades, que identificaram os primeiros locais sobrelotados e a necessidade de transferir pessoas.

De acordo com o presidente da Câmara de Odemira à Lusa, citada pela “TVI“, as vistorias serviram para a “verificação das condições de alojamento” dos trabalhadores rurais, devido à evolução da situação da pandemia de Covid-19 no concelho, para se determinar uma possível transferência de pessoas.

Há já a identificação de situações, “mas obviamente, não estão todas, porque o problema não se limita a algumas”, disse, referindo-se aos locais sobrelotados e à necessidade de transferir pessoas infetadas o coronavírus ou com necessidades isolamento profilático. A falar na tarde de domingo, o José Alberto Guerreiro adiantou que esta segunda-feira, 3 de maio, será realizada uma reunião com várias entidade para determinar alguns aspetos específicos que estão relacionados com a forma como vai decorrer a operação, que pode começar neste mesmo dia. Nesta região foi também reforçada e adiantada a vacinação dos cidadãos.

Quanto ao empreendimento Zmar, que foi alvo de uma requisição temporária para a instalação de quem estiver em isolamento profilático ou sem condições de habitabilidade, o autarca frisou que o governo estará tratar a situação em duas fases. “Uma das fases é relativa aos alojamentos que pertencem à própria estrutura do Zmar” e a outra está relacionada com as habitações que são de particulares, salientou.

Já durante o fim de semana, o autarca de Odemira revelara que já tinha denunciado situações suspeitas, relativas à existência de muitos trabalhadores migrantes no concelho, há cerca de dois anos à Polícia Judiciária. Segundo o “Público” desta segunda-feira, a PJ abriu agora uma investigação a denúncias de casos de alegados crimes ligados ao auxílio à imigração ilegal, “tráfico de pessoas e escravatura” na zona de Odemira.

Também no fim de semana, a SIC Notícias mostrou uma reportagem na Zambujeira do Mar, onde, numa casa, vivem mais de 30 pessoas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT