Na cidade

Governo muda símbolo oficial para imagem mais “inclusiva, plural e laica”

Caíram as quinas, as chagas e a esfera armilar. Tudo em nome da “consciência ecológica” e da “sofisticação”.
O antigo símbolo

Pode parecer um detalhe, mas para os olhares mais atentos, a diferença é notória. Esta semana que a imagem oficial do Governo da República Portuguesa sofreu alterações significativas — uma escolha que se tem revelado polémica, pelo menos nas redes sociais.

Para lá das cores principais, que se mantiveram intactas — o vermelho, o verde e o amarelo —, tudo o resto foi mudado. Para trás ficou a esfera armilar, os castelos, as quinas e as chagas. A nova imagem surge agora mais geométrica: dois blocos retangulares verdes e vermelhos, com um círculo amarelo no meio. Uma versão simplificada e estilizada da bandeira.

“É um símbolo novo e distinto, representativo do Governo da República Portuguesa, que responde de forma mais eficaz aos novos contextos, determinados pela sofisticação da comunicação digital dinâmica e por uma consciência ecológica reforçada”, explica o Governo sobre a alteração. Outro objetivo da mudança foi o de tornar a imagem mais “inclusiva, plural e laica”.

De acordo com o “Correio da Manhã”, a nova imagem oficial do Governo foi criada pelo Studio Eduardo Aires, empresa do designer e professor da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. A operação terá tido um custo máximo de 74 mil euros.

“O que se propôs não constitui o redesenho da bandeira instaurada pela Revolução de 5 de outubro de 1910 e devidamente consagrada na Constituição da República”, revela o manual de aplicação da identidade visual da nova imagem.

A nova imagem já em uso

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT