Na cidade

Greta Thunberg fez 18 anos e desafia conspiracionistas: “Por fim, estou livre!”

A ativista marcou também a chegada à maioridade com uma entrevista onde diz já não comprar roupa nova e pede que todos façam o que podem.
A jovem não desiste de lutar.

É um dos nomes mais importantes no combate mundial contra as alterações climáticas, e tem apenas 18 anos — acabados de fazer, este domingo, dia 3 de janeiro. Com a luta pelo direito a ser ouvida e com a fama, vieram também o escrutínio, as teorias de conspiração, os ataques nas redes sociais. A tudo isto, Greta Thunberg, agora maior de idade, respondeu à letra no seu dia de anos, com um humor que surpreendeu muitos — e que se tornou viral.

“Muito obrigado por todos os votos de boa sorte no meu aniversário de 18 anos! Hoje à noite, vão-me encontrar no pub local, expondo todos os segredos obscuros por trás da conspiração do clima, da greve escolar e dos meus manipuladores do mal que já não me podem mais controlar! Estou finalmente livre!”.

Numa tradução livre, foi assim que a ativista sueca respondeu a anos de teorias sobre a eventualidade de estar apenas a ser manipulada pelos seus pais, organizações com uma agenda própria, ou ambos, como o fez o presidente dos EUA, Donald Trump; sobre a hipótese de as alterações do clima não passarem de um mito, apesar das provas em contrário; ou sobre quem a ataca por ser demasiado séria ou intensa, e dever estar a fazer coisas próprias para a idade, como já foi por diversas vezes repetido na internet.

Até a sweatshirt da jovem tem uma mensagem: diz “Flat Mars Society”, uma brincadeira com o Elon Musk, que pretende ocupar e criar colónias em Marte como plano B do planeta. Segundo vários meios norte-americanos, o bilionário e fundador da SpaceX, terá recentemente usado as teorias de conspiração dos Flat-Earthers, que acreditam que a Terra é plana, para fazer publicidade à sua causa: e em 2017 perguntou no Twitter porque não havia uma Flat Mars Society, sendo alvo de imensas piadas e críticas por o ter feito.

O efeito de tudo na publicação de aniversário de Greta foi sentido: em menos de um dia, a partilha teve mais de 344 mil gostos, 39 mil comentários, 18 mil partilhas. Até links para a sites onde se vende a sweatshirt podem ser encontrados por entre os milhares de comentários, histórias e reações.

Dois dias antes, a ativista sueca desejara um bom ano, sempre na continuação da luta mundial pelo clima e pelo planeta; e ainda que já está finalmente disponível, em vários cinemas e plataformas “I Am Greta”, o documentário da BBC sobre o seu percurso, que foi anunciado em fevereiro de 2020.

The movie “I Am Greta” is now steaming on Hulu (USA), ARD Mediathek (Germany), DocPlay (Australia), Crave (Canada) and…

Posted by Greta Thunberg on Saturday, December 26, 2020

Num tom mais sério, ainda no domingo, dia do seu aniversário, foi também publicada uma entrevista celebratória da data no “The Sunday Times“, onde Greta explica que parou de comprar roupas novas e que tem diversos cuidados no seu dia-a-dia; mas frisou que nem por isso julga outras pessoas cujas escolhas de estilo de vida são diferentes, ou menos ecológicas.

Citada pelo “The Guardian”, a entrevista da revista publicada em edição de assinantes revela que Thunberg parou de voar há vários anos, preferindo viajar de barco; que é vegan e que parou de consumir “coisas”, sempre que possível. E a jovem reiterou que o seu objetivo não é criticar ninguém. “Eu não digo a ninguém o que fazer, mas há um risco quando se fala sobre essas coisas [ações para diminuir a pegada ecológica] e não se pratica enquanto prega; ai, será criticado por isso e o que está a dizer não será levado a sério”, explicou.

Sobre quem tem vários filhos, que é em termos meramente ecológicos considerado uma das maiores fontes de aumento da pegada de carbono, a jovem sueca diz que não considera também qualquer egoísmo ter crianças — lembrando que acredita que o problema não são as pessoas, mas sim os comportamentos.

Acerca dos prazeres e mimos que muitos consideram como essenciais, como viajar para locais paradisíacos ou comprar as roupas da moda, acrescentou: “Na pior das hipóteses, acho que comprarei em segunda mão, mas eu não preciso de roupas novas. Eu conheço pessoas que têm roupas, então eu pergunto-lhes se podem emprestar, ou se elas têm algo de que não precisam. Não preciso de voar para a Tailândia para ser feliz. Não preciso de comprar roupas de que não preciso. Então não vejo isso como um sacrifício ”.

Finalmente, como presente de aniversário ideal, elegeu algo simples: a “promessa de todos que farão tudo o que puderem” pelo planeta, frisou. 

O percurso da ativista sueca começou em agosto de 2018, quando tinha apenas 15 anos. Na altura, faltou à escola durante três semanas em modo de protesto. Ia todas as sextas-feiras para a frente do parlamento sueco para reclamar sobre os estragos no clima, tornando-se em pouco tempo num dos rostos mais icónicos de sempre na luta contra os efeitos da sobreutilização do planeta, sobretudo junto das camadas mais jovens.

Em apenas dois anos, Greta já viajou pelo mundo — de barco — a espalhar a mensagem, já criticou decisores e líderes mundiais num discurso nas Nações Unidas em 2019, já entrou em altercações nas redes sociais com Donald Trump, já exigiu uma ação urgente dos governos sobre o Acordo de Paris.

Em fevereiro deste ano soube-se que estava a ser feito um documentário sobre si e em julho, Greta Thunberg venceu a primeira edição do prémio Gulbenkian para a Humanidade: a jovem sueca conseguiu um milhão de euros, a ser totalmente aplicados na luta que a tornou conhecida e desde cedo abraçou, a do combate às alterações climáticas.

Thank you so much for all the well-wishes on my 18th birthday!Tonight you will find me down at the local pub exposing…

Posted by Greta Thunberg on Sunday, January 3, 2021

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT