Na cidade

Lisboa e Porto perderam 2900 alojamentos locais no último ano

É no centro histórico na zona da Baixa de Lisboa que se registam menos apartamentos para turistas.
Estes números já eram esperados.

Com a pandemia já se sabia que seria um ano difícil a nível do turismo, mas há agora dados concretos que permitem perceber o impacto da Covid-19 no alojamento. De acordo com a Confidencial Imobiliário, citada pelo “Expresso“, Lisboa e Porto perderam 2900 casas de Alojamento Local (AL), no espaço de um ano. Estes dados comparam o mês de setembro de 2020 com o mesmo período do ano passado  — e tratam-se sobretudo de apartamentos do tipo T0 e T1.

Em Lisboa, registaram-se menos 1.774 apartamentos T0 e T1 no mercado do Alojamento Local, quando comparado com o mês de setembro de 2019, num universo de 3.468 casas em junho deste ano, que eram 5.212 alojamentos em junho de 2019. As freguesias da Misericórdia e de Santa Maria Maior, que se encontram em pleno centro histórico na zona da Baixa de Lisboa, foram as que contribuíram mais para aquela perda, tendo respetivamente perdido 435 e 388 apartamentos, respetivamente.

Além disso, Vicente, outra freguesia do centro histórico lisboeta, também perdeu 182 apartamentos, e  em Santo António, existem menos 196 alojamentos locais ativos. Enquanto que no Porto, há menos 1.158 alojamentos locais do tipo T0 e T1 no espaço de um ano. A oferta atual é de 2.536 alojamentos locais.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm
Novos talentos

AGENDA NiT