Na cidade

Há um novo baloiço incrível para voar em direção ao vazio no centro do País

Um jovem de 23 anos concretizou o sonho de criar um baloiço na sua terra. Os vizinhos e os turistas adoram a ideia.

Locais de lazer, de paz, de reflexão e ainda de ligação a memórias perfeitas de infância: os baloiços de madeira são a nova moda em Portugal, até porque são uma aposta certa de sucesso. Só tem de escolher o sitio ideal, onde a natureza incrível e arrebatadora se mistura com vistas limpas e com a sensação de vazio num dos lados do baloiço — porém em segurança. Depois, tal como Kevin Costner disse no filme “Field of Dreams”: “se o construíres, eles virão”.

É isto que tem acontecido em várias regiões do País, quase sempre pela mão e iniciativa de jovens dessas vilas e aldeias. O novo baloiço de Penedros da Cabeça, a freguesia de Lamas de Ferreira de Aves, distrito de Viseu, nasceu precisamente assim: pela vontade e sonho de um jovem de 23 anos.

A sinalética colocada.

Daniel Filipe Santos mora ali mesmo e é serralheiro de alumínios. A ideia de fazer o baloiço surgiu assim que viu a famosa estrutura da Serra da Lousã. Naquele momento, pensou logo: “Por que não fazer um, na serra da minha freguesia?”. E assim foi.

“Andei a estudar o terreno até encontrar um lugar magnífico, espantoso, com vista de 360 graus e com muita coisa para ver. Quando começou a pandemia do coronavírus decidi começar a fazer o baloiço”, explica à NiT.

 O objetivo é atrair pessoas à sua terra, tirar os vizinhos de casa e “dar a conhecer o que nos temos de melhor, que são as paisagens”. Aos poucos, e com o mundo ainda em quarentena, o jovem serralheiro começou a organizar tudo em casa e depois levou o material para o tal local que escolheu. “Não tive ajuda de ninguém, foi tudo feito por mim”.

O espaço começou a ser falado pelos vizinhos e amigos a partir de 11 dia de maio, depois de terem sido partilhadas as primeiras fotografias no Instagram. Depois chegou o fim do estado de emergência e começou a afluência: “Em média, vêm cá 50 a 80 pessoas a cada domingo”, conta Daniel, carregado de orgulho.

O serralheiro visionário diz que este “é um local para relaxar, sentir, pensar e fazer desporto, mas tem muito mais para ver na zona além do baloiço”. O local onde está a estrutura chama-se Penedros da Cabeça por um motivo simples: à volta do local estão espalhadas várias cabeças de pedra — como a Cabeça do Mudo, Cabeça do Cego, Cabeça do Homem, Cabeça do Camaleão e do Dragão.

Este é o Cabeço do Mudo.

Tirando o que já estava no local, Daniel acrescentou ainda um coração, uma janela e até a sinalética. Tudo junto criou uma espécie de caminho mágico pela serra até este destino.

Os baloiços de madeira panorâmicos são uma novidade relativamente recente no nosso País, mas um sucesso imediato. Além de lindos e com vistas perfeitas, enchem as redes sociais de fotos que funcionam como uma espécie de bilhetes postais da região. O turismo agradece. 

Recentemente, abriu um destes locais maravilhosos na Serra da Boneca, com vista para o Rio Douro — tal como a NiT lhe contou. Para quem não conhece, há outros dois baloiços panorâmicos com uma história semelhante e até mais antigos — e que também foram criados por jovens para valorizar as suas terras. Neste caso, são espaços irmãos entre si, ou seja filhos do mesmo projeto e próximos um do outro.

Falamos do Baloiço do Trevim e do Baloiço do Burgo. Os mesmos que inspiraram uma jovem a criar o Baloiço do Talegre, na freguesia e Serra de Alburitel, no concelho de Ourém; e agora o de Penedros da Cabeça.

Se este vídeo da serra, que também funciona como um mapa que o ajuda a chegar ao local exato, não o convencer a ir, bem: então nada o fará.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT