Na cidade

Há um novo espelho de água para conhecer no Parque da Pena

O novo habitat aquático do mítico parque tem 1.006 metros quadrados e foi inaugurado a 12 de abril
É o novo habitat aquático.

O mítico parque de 85 hectares do Palácio da Pena está cada vez mais bonito. Agora, além dos vários jardins e áreas com espécies autóctones e exóticos oriundas de todo o mundo, tem um novo habitat aquático: um espelho de água com mil metros quadrados.

A Parques de Sintra inaugurou na sexta-feira, 12 de abril, a charca naturalizada do Parque da Pena, um dos investimentos mais recentes relacionados com a salvaguarda e gestão eficiente da água não potável que provém da serra da Sintra. Com dois metros de profundidade, o espelho de água tem capacidade para armazenar 2.600 metros cúbicos e veio valorizar este jardim histórico.

“O projeto de implementação da charca naturalizada cumpre, simultaneamente, três objetivos”, nota o administrador da Parque de Sintra, Luís Calaim. Um deles é a criação de um habitat aquático naturalizado que valoriza a paisagem e promove a conservação da natureza.

A reserva de água para combate a incêndios florestais na serra e o armazenamento de água para rega dos jardins, evitando assim o recurso a água potável, são outros dos objetivos. “Trata-se de um investimento, a rondar os 128 mil euros, que vai potenciar a gestão racional e sustentável deste percurso natural”, sublinhou.

A charca faz parte de um projeto global em curso no parques e jardins históricos geridos pela empresa, com o objetivo de aumentar a resiliência num contexto de alterações climáticas. “Está a decorrer a execução faseada de vários projetos de recuperação de sistemas de água tradicionais em diversas propriedades, como o Parque da Pena e a Tapada de Monserrate, que visam repor água não potável de forma eficiente em todos os pontos de armazenamento existentes e recuperar os elementos de água com função decorativa”, realça Luís Calaim. 

Equipado com uma plataforma de deck que funciona como observatório,  o novo espelho de água do Parque da Pena contemplou a criação de um habitat aquático, com espécies de flora e fauna. Foram plantados 2.947 exemplares de plantas de 35 espécies botânicas aquáticas e 1.500 de plantas terrestres autóctones. Também já se regista a presença de anfíbios, como tritões marmoreadas, rãs e salamandras.

A forma da charca, com as suas margens ondulantes, conferem-lhe um aspeto mais orgânico e natural. Desde o início do ano que todos os residentes em Portugal podem visitar gratuitamente os parques e monumentos de Sintra aos domingos e feriados. Nos restantes dias, a entrada no Parque e Palácio da Pena custa 17€ por pessoa.

O espelho de água.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT