Na cidade

Já conhece o Baloiço do Burgo? Só tem mais umas semanas para o visitar

Fica na Lousã e é irmão do mega popular Baloiço do Trevim. Mas neste espaço incrível em piscinas naturais, há um timing anual para visitar.
Um lugar absolutamente mágico.

Num país cheio de recantos incríveis e surpreendentes como Portugal, não faltam motivos para sair da casa e partir à descoberta. Há sempre novos lugares onde consegue deslumbrar-se com uma beleza natural que nem sabia que existia — e ainda ligar-se a memórias de infância, feitas de tardes passadas a voar em baloiços, sem uma preocupação no mundo. Os baloiços de madeira panorâmicos são uma novidade relativamente recente no nosso País, mas um sucesso imediato: além de lindos e com vistas perfeitas, além da paz e beleza que proporcionam, ainda enchem as redes sociais de fotos de fazer inveja a todos os seguidores.

Recentemente, abriu um destes locais maravilhosos na Serra da Boneca, com vista para o Rio Douro, e a NiT contou-lhe tudo. Mas para quem não conhece, há outros dois baloiços panorâmicos, com uma história semelhante a este e até mais antigos, que também foram criados por jovens para valorizar as suas terras — e neste caso são espaços irmãos entre si, ou seja filhos do mesmo projeto e próximos um do outro.

A história deles também merece ser contada, até porque são já sucessos gigantes e valem mesmo a pena visitar — e um deles, fica o aviso, está quase a fechar (até para o ano).

Falamos do Baloiço do Trevim e do Baloiço do Burgo. Construídos pelo projeto Isto é Lousã, ficam  entre a Castanheira de Pera e Coimbra, na zona da Lousã no centro do País, perto das Aldeias do Xisto e a pouca distância um do outro: o primeiro fica no Alto de Trevim, o ponto mais alto da Serra da Lousã, no distrito de Coimbra. A 1.200 metros de altitude, este baloiço gigante de madeira é o local ideal para tirar fotografias originais para o Instagram.

O Baloiço do Trevim.

Se ficou um pouco assustado com a altura, o outro baloiço, das piscinas da Nossa Senhora da Piedade, ou do Burgo, fica na localidade com o mesmo nome. Só que este é sobre a água e também dá umas fotos absolutamente incríveis. Até de noite, já que tem grinaldas de luzes criando um efeito de sonho.

A NiT falou com os mentores do projeto responsável por estes espaços, o Isto é Lousã, a propósito de várias duvidas espalhadas nas redes sociais sobre o baloiço situado nas praia fluvial: quando fechava, porque se encontrava às vezes encerrado, quando se poderia visitar.

Os dois jovens, que preferem não se identificar “apenas por não ser importante”, são responsáveis por colocar esta zona da Serra no mapa de visitas obrigatórias — e fotos certas no Instagram — desde 2016.

Primeiro, começaram a espalhar sinais e placas pela Serra da Lousã, valorizando e enaltecendo a região onde cresceram e que tanto admiram, até que surgiu a ideia dos baloiços.

“O Isto é Lousã é um projeto de dois jovens lousanenses que consiste na intenção de reaproveitar espaços com potencial que não estão a ser aproveitados, dando-lhes uma nova vida, através da inserção de algo especial”, explicam à NiT.

“Todos as peças são especiais, a partir do momento que vemos pessoas a deslocarem-se propositadamente para as ver, usufruir das mesmas, fotografar e partilhar; é fantástico”, adiantam, referindo-se a estes primeiros sinais.

Isto é Novo, Isto é Lousã! 💝

Publicado por Isto é Lousã em Sábado, 12 de janeiro de 2019

Quanto aos baloiços, “toda a vida existiram baloiços”, explicam, “mas a verdade é que conseguimos dar uma nova força a esta peça, com a colocação dos mesmos em sítios estratégicos e, achamos que a diferença começa aí”. Ambos abriram em 2016.

Estes espaços serão sempre especiais no meio do projeto Isto é Lousã, onde o Baloiço do Trevim consegue proporcionar os mais variados ambientes a quem visita a região: “desde baloiçar sobre um manto branco de nuvens, sobre o vale encantado da serra, com um por do sol maravilhoso, ou com neve” frisam os responsáveis.

Do Baloiço do Trevim, que pode ser visitado nos 365 dias do ano, pode descer até ao Baloiço do Burgo, que normalmente só costuma estar disponível entre julho e outubro ou novembro — altura de menor caudal da ribeira, a fim de não pôr em perigo a segurança de quem o visita.

E este é o do Burgo.

Varia consoante as condições meteorológicas, mas os responsáveis pensam que no corrente ano estará aberto mais um mês, ou seja pelo menos até ao final do mês de outubro, início de novembro.

Sobre os baloiços, concluem: “consideramos que este projeto é, sem duvida, uma das melhores ações a nível turístico da região centro, porque com custos muito reduzidos, ou seja, através de investimentos significativos conseguimos criar simples peças que captam o interesse das pessoas a visitarem a Serra da Lousã. E a partilharem a mesma para todas as partes do mundo, através de redes socias, sites turísticos ou blogues”.

O Baloiço do Trevim fica então no ponto mais alto da Serra da Lousã, a cerca de 50 quilómetros de Coimbra; e o do Burgo a poucos quilómetros, na direção da Lousã. Para os visitar, pode ver a localização exata no Google Maps: tanto do Trevim como do Burgo.

Pode ver pelas partilhas recentes nas redes sociais, as vistas e imagens que consegue nestes locais:

View this post on Instagram

🇵🇹

A post shared by Maria Beatriz Figueira (@m.beatrizfigueira) on

Publicado por Isto é Lousã em Terça-feira, 31 de julho de 2018

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm
Novos talentos

AGENDA NiT