Na cidade

Já foram cancelados 27 voos esta terça-feira. A situação “não deverá melhorar”

A maioria das ligações adiadas pertence à TAP. Esperam-se dias difíceis no aeroporto de Lisboa.
O caos vai continuar.

O caos no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, não parece estar a abrandar. Segundo dados do portal da ANA – Aeroportos de Portugal, já foram cancelados pelo menos 27 voos esta terça-feira, 5 de julho. Em causa estão 11 partidas e 16 chegadas, sendo que a maioria das ligações pertence à companhia portuguesa TAP, que já deixou um aviso: a situação deve prolongar-se nas próximas semanas. 

Após um fim de semana com vários prolongamentos, a presidente executiva da TAP, Christine Ourmières-Widener, dirigiu uma mensagem aos clientes na segunda-feira: “Neste momento, reconhecemos que não estamos a oferecer o serviço de excelência que planeámos e que queremos que experiencie connosco, face à crise que o transporte aéreo atravessa e que, de acordo com as previsões mais recentes, não deverá melhorar nas próximas semanas, fruto de um aumento regular das viagens de lazer e de negócio”, escreveu.

Em plena vaga de cancelamentos e de conflitos laborais, o diretor de operações da Easyjet, Peter Bellew, decidiu demitir-se do cargo esta segunda-feira para procurar “outras oportunidades de negócio”.

O caos na aviação estende-se ainda ao aeroporto Sá Carneiro, no Porto, que tem já quatro voos cancelados (duas partidas e duas chegadas) e ao aeroporto da Madeira, com dois voos que não vão acontecer. Em declarações à Lusa, a ANA adianta que “o aeroporto de Lisboa implementou medidas para apoiar as companhias aéreas, nomeadamente a instalação de balcões móveis suplementares na área de transferências para reagendamento de voos”.

A crise no setor da aviação em Portugal está a afetar toda a Europa. Na origem da situação estão falta de pessoas, greves e outros fatores externos, como a Covid-19 ou o caso do rebentamento do pneu de um jato particular que encerrou a pista do aeroporto de Lisboa durante algumas horas na sexta-feira, 1 de julho.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT