Na cidade

É oficial: julho foi o mais quente de sempre em todo o mundo

Desde que há registos que este mês registava temperaturas tão elevadas. Agora foi confirmado mais um recorde.
Temperaturas máximas foram ultrapassadas.

2019 é o ano de todos os recordes em questões climáticas — só que não são recordes positivos mas sim preocupantes, alertam os cientistas. Depois de junho, agora julho deste ano também foi confirmado como o mais quente desde que há registos, ainda que por uma estreita margem.

De acordo com o “Euronews“, os dados mais recentes do serviço de alterações climáticas do Programa Copernicus da União Europeia confirmam que julho foi, tal como junho, um mês excecional.

O programa mostra que todos os meses de 2019 ficaram entre os quatro mais quentes do respetivo mês homólogo — e junho deste ano foi mesmo o mais quente já registado.

E agora a história repete-se com os dados de julho. Segundo a Lusa, citada pelo “Diário de Notícias“, o responsável pelo Copernicus, Jean-Noël Thépaut, avançou num comunicado esta segunda-feira, 5 de agosto, que “o mês de julho é geralmente o mês mais quente do ano no mundo; mas de acordo com os nossos dados [este, de 2019], é também o mês mais quente alguma vez já medido”.

O programa salienta no entanto que o recorde é por uma margem mínima: em julho de 2019, as temperaturas médias globais terão estado apenas 0,04º acima do recorde anterior, registado em julho de 2016.

No entanto, os dados são mais relevantes porque em 2016 estes valores seguiram-se ao fenómeno El Niño, o que justifica um aumento de temperaturas; e este ano não houve nada igual. O responsável da UE explica: “com o aumento das emissões de gases com efeito de estufa e o consequente impacto nas temperaturas globais, estes recordes continuarão a ser batidos”.

Ainda segundo a Copernicus, dada a margem mínima existe a possibilidade de outros relatórios, feitos com diferentes métodos de análise, não chegarem à mesma conclusão face ao mês mais quente. É também ressalvado que determinadas partes da Europa, nomeadamente a Península Ibérica e alguns países de Leste, tiveram até temperaturas mais baixas do que o habitual; assim como algumas zonas do Canadá e da Ásia.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT