Na cidade

Lisboa e Braga não avançam para a próxima fase de desconfinamento

Odemira e Vale de Cambra também vão manter as regras em vigor. O resto do país segue no plano de desconfinamento.
São várias as medidas que vão entrar em vigor a partir de dia 14 de junho.

Já não há concelhos a regredir neste processo gradual de desconfinamento e a maioria do País avança para a etapa seguinte de descompressão das regras. São apenas quatro os concelhos que se mantêm a cumprir as atuais normas: Braga, Lisboa, Odemira e Vale de Cambra. 

Este é o balanço geral que a ministra Mariana Vieira da Silva acaba de anunciar em conferência de imprensa, sobre as alterações que vão entrar em vigor a partir de 14 de junho e que vão durar até ao final do mês. 

Portanto, como não há concelhos com mais de 240 ou 480 casos por cada cem mil habitantes, nenhum concelho irá retroceder na próxima semana. Apesar disso, dez concelhos estão em situação de alerta. Falamos de Albufeira, Alcanena, Arruda dos Vinhos, Cascais, Loulé, Paredes de Coura, Santarém, Sertã, Sesimbra e Sintra. 

Segundo Mariana Vieira da Silva, o cenário atual da área de Lisboa e Vale do Tejo é “preocupante”, dado que os números estão a aumentar e há uma maior abrangência da região. E há uma dificuldade “em reduzir os casos” e o número de internamentos continua a subir. Além disso, a incidência viral é superior nos mais jovens (que não estão vacinados).  

Quanto à testagem, esta passa a ser necessária nas empresas com mais de 150 trabalhadores com um posto de trabalho idêntico. No caso dos eventos (desportivos, culturais e familiares), a Direção-Geral da Saúde vai determinar quais poderão ter acesso a testes, consoante a sua dimensão. Tal como a ministra afirma, “o país está a preparar-se que todas estas dimensões passem a poder contar com contributo do certificado verde digital”.

Estas são algumas das novas regras para a segunda quinzena de junho (com exceção para os quatro concelhos acima mencionados)

O comércio a retalho e alimentar estará aberto de acordo com horário de funcionamento;

Na restauração os horários de funcionamento serão até à 1h da manhã. Idêntico para espaços culturais;

Serviços públicos desconcentrados (fora das lojas de cidadão): acesso sem marcação prévia;

Eventos familiares: 50 por cento da lotação do espaço;

Deixa de existir obrigatoriedade de teletrabalho a nível nacional (exceto para quem é imunossuprimido e para os concelhos que não avançam na fase de desconfinamento);

A prática desportiva pode ter público, e no caso de desportos não-profissionais têm de haver lugares marcados e lotação permitida de apenas 33 por cento;

Transportes públicos: dois terços da lotação máxima, dos lugares em pé.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT