Na cidade

Lisboa quer ter mais mais de 250 quilómetros de ciclovias até 2025

A autarquia vai investir 13 milhões em novas ligações. O desenho de vias como a Avenida Almirante Reis vai ser alterado.
Será um grande aumento.

O plano da autrquia é aumentar a rede ciclável em 90 quilómetros, passando dos atuais 173 para 260 até ao final de 2025. A meta ambiciosa foi anunciada esta quinta-feira, 23 de maio.

O projeto de expansão prevê ainda a construção de mais 56 ligações, que representam um investimento de 13 milhões de euros. O objetivo é melhorar e interligar as infraestruturas já existentes.

“Estamos a incluir pela primeira vez uma dotação orçamental também para a manutenção”, avançou à Lusa o vice-presidente da autarquia, Filipe Anacoreta Correia, citado pelo “Observador”. A manutenção arranca ainda em maio e será assegurada através da EMEL.

O número de estações GIRA também vai aumentar de 150 para 190 no próximo ano. Serão disponibilizadas 1900 bicicletas partilhadas, das quais 1800 são elétricas, espalhadas pelas 24 freguesias da capital.

Outro dos objetivos passa por ligar a rede ciclável a mais escolas. “Acredito que, no primeiro semestre do próximo ano, nós possamos avançar para outra fase. Ultrapassadas as fragilidades e as debilidades que estão identificadas na infraestrutura existente, podemos caminhar para o crescimento”, acrescentou Anacoreta Correia.

A auditoria realizada à atual rede ciclável revela que as ciclovias com mais problemas de segurança são a Avenida 24 de julho, a Rua Prof. Pinto Peixoto (no Beato) e a Avenida Almirante Reis, cujo desenho deve ser alterado significativamente. Porém, ainda não foram avançados detalhes.

“O nosso objetivo é manter, de alguma forma, nas vias estruturantes, a compatibilização entre a rede rodoviária e a ciclável, mas introduzir alterações muito significativas e que, em grande medida, respondem a vários dos aspetos que são assinalados também na auditoria em termos de segurança”, conclui.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT