Na cidade

Mais de 80% dos portugueses defende recolher obrigatório caso o contágio se agrave

Hospitais, cafés e restaurantes são vistos como locais de risco de contágio, segundo a sondagem da Aximage.
Portugal enfrenta uma segunda vaga.

Com Portugal a bater recordes de casos diários por Covid-19, uma parte da população defende o recolher obrigatório caso se agrave a crise sanitária. Para sermos mais precisos, esta é a opinião de 81 por cento dos inquiridos da sondagem da Aximage para a “TSF” e “JN”.

Questionados sobre o cenário de um novo período de confinamento, com a chegada do tempo frio, 50 por cento rejeita e 39 por cento consideram que seria uma medida acertada.

Mais de metade dos inquiridos consideram que é baixa (40 por cento) ou muito baixa (16 por cento) a possibilidade de serem infetados, tendo em conta os locais que frequentam, as pessoas com quem convivem e os cuidados que têm. Ainda assim, diz a “TSF”, verifica-se que a perceção do risco subiu em relação a setembro.

Sobre os locais que são vistos como de maior risco de contágio, os inquiridos destacaram as festas, grandes ajuntamentos e transportes públicos.

Contudo, regista-se uma subida da perceção de risco associada a hospitais, cafés, restaurantes e lojas. No fundo da tabela, revela a mesma publicação, estão as farmácias e as escolas. Para a sondagem, foram recolhidas 694 entrevistas entre maiores de 18 anos residentes em Portugal.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT