Na cidade

Mesmo com chuva, fomos à estreia do Wonderland Lisboa ‒ e não havia filas para nada

O recinto abriu portas esta quarta-feira e vai ficar pelo Parque Eduardo VII até ao dia 1 de janeiro.
Está ainda mais mágico.

Está oficialmente aberta a época natalícia em Lisboa. Pelo menos no Parque Eduardo VII, onde já se vive a sério a quadra mais feliz do ano. O Wonderland Lisboa abriu portas esta quarta-feira, 30 de novembro, e a NiT não aguentou o entusiasmo — mesmo com a chuva que não parava de cair, fomos lá na noite de estreia.

Esta é a sétima edição do evento, que em 2020 não passou de um desfile filmado de Natal. Está a crescer, a apurar e a ganhar dimensão. A cada ano que passa, afirma-se como uma iniciativa incontornável na capital, motivo pelo qual receámos fazer a visita no dia da abertura. Ainda por cima, sendo véspera de feriado.

Nos anos anteriores, o primeiro dia do Wonderland foi marcado por uma afluência tão grande que quase nem havia espaço para as pessoas se mexerem. Este ano aconteceu o oposto. A chuva não dava tréguas e terá levado muitos a alterarem os planos.

Já estávamos a pensar nas horas que íamos passar nas filas da roda gigante, mas assim que chegámos ao recinto, por volta das 20 horas, percebemos que estava praticamente vazio (e não havia filas para nada). Tínhamos o parque praticamente só para nós.

A fraca adesão não permitiu que nos sentíssemos imediatamente envolvidos pelo espírito natalício, — algo que acabaria por se resolver. Afinal, as alusões ao Natal estavam em tudo: nas canções que tocavam nas colunas de som, nas iluminações das árvores e nos spots instalados nos relvados para tirarmos fotos instagramáveis. Nas barraquinhas de madeira não faltaram os vinhos quentes, os doces, o artesanato e os brinquedos.

Começámos por dar uma volta completa pelo recinto e concluímos que não falta nada. O Wonderland tem tudo para ser o local ideal para passar umas horas divertidas com familiares ou amigos. A entrada no recinto é livre, apesar de algumas diversões serem pagas.

Não faltam coisas para fazer, ver e comprar. Food trucks com comida variada, de hambúrgueres a cachorros e pizza e até Pad Thai, não faltam. E, claro, farturas, waffles e algodão doce também não. Já no que diz respeito às bebidas, o grande protagonista deste evento natalício é o vinho quente — com a ginjinha com companheira.

Como seria de esperar, a comida não é propriamente barata, mas existem algumas opções mais em conta. Decidimos provar uns cachorros-quentes que estão à venda numa carrinha situada no lado esquerdo do recinto (de quem vem do metro), com preços a partir de 5€ e opções vegetarianas.

Num evento destes é quase impossível resistir aos doces, que parecem chamar por nós. Do lado direito, perto da roda gigante, fica a Gulla’s, uma carrinha onde se vendem mini panquecas (5€ por 10 unidades). O responsável, que marca presença no Wonderland já há alguns anos, confirmou que o primeiro dia estava a ser muito parado.

Apesar de existirem várias food trucks, sentimos falta de espaços cobertos onde nos pudéssemos sentar a comer com calma. É possível usar o relvado e os bancos originais do parque para fazer, mas em dias de chuva não é lá muito agradável.

Entre as atrações, destaca-se a famosa roda gigante com 26 metros de altura. É a diversão mais cara do Wonderland (5€), mas dura uns bons cinco minutos. Tempo suficiente para aproveitarmos a vista incrível sobre o parque e a zona central da cidade — e tirarmos dezenas de fotografias. Só é pena as cabines não totalmente fechadas para nos protegerem da chuva.

A pista de patins (não se engane, não há gelo nenhum) é outro dos atrativos e é gratuita. Cada visitante tem direito a 20 minutos a patinar e, se forem péssimos como nós, podem sempre agarrar-se aos pinguins e ursos que estão espalhados pela pista para evitarem fazer figuras tristes. E mesmo assim não conseguimos garantir que caia no chão.

Para os miúdos, o Wonderland Lisboa também é um paraíso: podem descobrir a a Aldeia do Pai Natal e conhecer o velho barbudo mais famoso do mundo. É uma espécie de aldeia-labirinto, cheia de casinhas; e um mega trampolim (4€) com um Buzz Lightyear a vigiar os alucinantes saltos controlados dos mais novos. Uma das grandes novidades desta edição é a área de gaming, um espaço da Worden Game Ring com vários jogos de computador e consola.

Como é tradicional, o recinto inclui a clássica árvore de Natal, ponto central de várias fotografias que enchem os feeds do Instagram. Não só do pinheiro gigante, como tudo o resto que está no espaço: um baloiço com asas, uma cabine telefónica toda decorada e uma estrela gigante que está perfeitamente enquadrada com a roda gigante, que está sempre a mudar de cores.

O Wonderland Lisboa está aberto todos os dias de dezembro, mas têm horários distintos. De segunda a quinta, pode visitar o evento entre as 13 e as 23 horas. Às sextas e vésperas de feriado, o espaço está aberto até à meia-noite. Ao sábado, o horário é igual, com o extra de abrir portas às 10 horas. Aos domingos e feriados, o horário é das 10 às 22 horas. As exceções são, claro, os dias 24 e 31 de dezembro, em que pode visitar o espaço das 10 às 16 horas. Já nos dias 25 de dezembro e 1 de janeiro, a festa faz-se entre as 16 e as 22 horas.

Carregue na galeria para saber o que pode esperar neste Wonderland Lisboa, que fica pelo Parque Eduardo VII até dia 1 de janeiro de 2023.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT