Na cidade

Mesmo na pandemia, Lisboa e Algarve foram eleitos os melhores destinos do mundo

World Travel Awards são considerados os Óscares do Turismo e distinguiram a capital, o Algarve e a Madeira em várias categorias.
A melhor vista do mundo.

2020 foi um ano surreal também para o setor do turismo — e certamente, a nível económico, um dos piores de sempre. Depois de décadas de crescimento e de um boom turístico sem precedentes, impulsionado por voos mais baratos, novos modelos de alojamento, uma globalização quase total, eis que uma pandemia e uma crise sanitária global colocaram uma pausa em tudo: nas viagens, nos voos, nos hotéis e restaurantes.

Ainda assim, os Óscares do Turismo, como são chamados os World Travel Awards, aconteceram, esta sexta-feira 27 de novembro. E Portugal, uma verdadeira coqueluche do turismo em geral e destes prémios em particular nos últimos anos, voltou a brilhar, em vários dos seus destinos.

Lisboa, a melhor city break

A começar por Lisboa. A capital foi novamente eleita o Melhor Destino City Break do Mundo nesta edição mais votada de sempre dos World Travel Awards, que aconteceu em Moscovo maioritariamente de forma digital. No ano em que o setor do Turismo enfrenta enormes desafios, os fundadores destes prémios consideraram que existe uma forte vontade de viajar para destinos que são reconhecidos como os melhores do mundo.

“Esta é uma excelente notícia num ano tão catastrófico. Representa o reconhecimento mundial e contínuo da qualidade e diversidade da oferta turística de Lisboa e será, certamente, uma referência para os turistas estrangeiros assim que começarem a planear as suas viagens”, reagiu Paula Oliveira, diretora-executiva do Associação Turismo de Lisboa.

Ao conjugar uma cidade capital com natureza, praias, uma reserva natural de surf, património mundial da UNESCO, gastronomia, dois estuários ou até mesmo o oceano, Lisboa apresenta-se como um destino único no mundo, lembra a associação que representa o seu turismo. O prestígio conquistado nos últimos anos e em vários mercados é também reflexo da aposta estratégica na requalificação do património, enriquecimento da oferta cultural e multiplicidade de experiências que cativam vários perfis de turistas, adianta.

“Estes fatores, associados ao desejo de viajar que as pessoas mantêm, são altamente positivos quando a pandemia acabar. Mas até esse dia chegar, é fundamental conseguir preservar o tecido económico do Turismo para que o setor possa assegurar, com a máxima qualidade, o seu papel crucial numa retoma que se deseja o mais breve possível”, salienta a responsável.

Antes da pandemia, o sector do turismo gerava em Lisboa 14,7 mil milhões de euros de receita anual, sendo a região que mais contribuía para as receitas nacionais. Assegurava ainda mais de 200 mil empregos e contribuía com 20,3% para o PIB regional e 15,4% para o emprego.

O Algarve, o melhor destino de praia

O Algarve também fez história nesta edição dos prémios. A região foi distinguida, pela primeira vez, como o “Melhor Destino de Praia do Mundo”. Reunindo a preferência dos principais líderes da indústria de turismo e viagens de todo o mundo, que votaram para premiar a melhor oferta turística a nível global, o Algarve foi o vencedor de uma lista de 18 nomeados, concorrendo, lado a lado, com outros destinos de praia de renome mundial, como as Maldivas, Tailândia, Jamaica, Cancún (México), Miami Beach (EUA) ou Peloponeso (Grécia), entre outros.

A conquista surgiu poucas semanas após o Algarve ter recebido a mesma distinção a nível europeu. Um “feito notável, que assume uma relevância acrescida num ano difícil” como o de 2020, lembra o turismo local.

“Receber esta dupla distinção é, este ano, mais importante do que nunca, uma vez que, assim que os índices de confiança para viajar começarem a aumentar, os turistas vão querer optar pelos destinos que lhes oferecem as melhores garantias. A marca World Travel Awards é já um selo de prestígio e de qualidade reconhecido a nível global, pelo que estes prémios vêm conferir ao Algarve um valor acrescentado inestimável”, explicou João Fernandes, presidente do Turismo do Algarve.

“É um orgulho imenso para a região receber, pela primeira vez, este prémio a nível mundial, e também uma enorme responsabilidade, que nos obriga a continuar a trabalhar, de forma constante, para elevar os padrões da oferta turística do nosso destino”, adianta.

A edição deste ano alcançou um número recorde de votos por parte dos mais importantes profissionais e consumidores de turismo, o que se traduz num indicador promissor. “Apesar dos difíceis desafios com que o setor tem vindo a lidar ao longo deste ano, percebemos que a vontade de viajar permanece, e mais viva do que nunca, o que representa, para as empresas e profissionais desta área, um justo reconhecimento do seu mérito, um sentimento de esperança e um grande incentivo para continuarmos a trabalhar e a acreditar que o turismo vai renascer e voltar ainda mais forte”, disse ainda João Fernandes.

E a Madeira, o melhor destino insular

Mas há mais. A Madeira foi novamente reconhecida pelos World Travel Awards como o melhor destino insular do mundo, na cerimónia oficial que decorreu no mundo digital.

Neste caso, há uma experiência acumulada: este é já o sexto ano consecutivo que a Madeira é reconhecida com a distinção internacional, no mesmo mês em que foi igualmente reconhecida como o melhor destino insular da Europa. 

Para marcar o momento, a Associação de Promoção da Madeira lançou mesmo uma nova campanha que tem como objetivo celebrar uma das principais razões que a torna o Melhor Destino Insular do Mundo: as pessoas. A sua resiliência, empatia e dedicação fazem com que quem visita a Madeira se sinta em casa, frisa a campanha. O vídeo vai levar-nos a viajar pelo arquipélago, as suas maravilhas e o seu povo.

Os World Travel Awards resultam de uma votação online à escala global, na qual participam o público em geral e milhares profissionais de Turismo e Viagens em particular.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT