Na cidade

Mais de metade dos portugueses vai abdicar do Natal em família

Um novo inquérito demonstra que as preocupações com a saúde dos familiares vão, em muitos casos, sobrepor-se aos encontros.
Este ano será diferente.

Mais de metade dos portugueses irá abdicar de celebrar o Natal com o número habitual de familiares, temendo pela saúde dos mais frágeis em face do estado pandémico que o país atravessa.

O novo estudo é da plataforma de serviços Fixando e foi realizado entre 26 de novembro e 13 de dezembro junto de mil famílias portuguesas. Destas, mais de 50 por cento considerou extremamente inseguro reunir com pessoas fora do agregado familiar. Recorde-se que, em anos anteriores, os agregados familiares reuniam-se em média com mais oito pessoas durante a quadra natalícia, sendo que apenas 12 por cento passava o Natal exclusivamente com quem partilham casa.

Agora, 57 por cento das famílias afirma que o Natal em 2020 será muito diferente do de 2019, com 67por cento dos inquiridos a celebrar a quadra em casa, na companhia apenas do seu agregado. Somente 9 por cento pretende deslocar-se a casa de outros familiares. 10 por cento dos portugueses acolherá familiares em sua casa e 9 por cento diz que simplesmente não celebrará o Natal. 2 por cento irá receber amigos; 1 por cento irá deslocar-se a casa de amigos e 2 por cento diz que ainda não sabe.

Das famílias consultadas, 73 por cento consideram muito arriscado passar o Natal com amigos e preferem estar sozinhos, com maior estabilidade e segurança, optando, por exemplo, por passeios ao ar livre.

Relativamente à tradição dos presentes, também essa será diferente, pois, segundo a consulta da Fixando, os portugueses vão gastar em média 161€, ou seja, menos 65 euros face a 2019, cuja média ascendeu a 223€.

Considerando todo este contexto, a plataforma anunciou também uma nova categoria de “Serviço de Compras Personalizadas”: os utilizadores podem encontrar um estafeta para realizar por si as suas compras de Natal.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT