Na cidade

Mr Christmas: o homem que transformou um passado difícil num festim de luzes de Natal

Além de iluminar a rua, Abbott espera arrecadar dinheiro para quem o apoiou quando ele passou por uma fase pior há 15 anos.

A história parece saída de um filme, mas é mesmo uma daquelas coisas que mostram o lado mais Disney da vida real. Em Norwich, no Reino Unido, vive o Mr. Christmas — o senhor Natal, numa tradução à letra, se preferir. Superou um passado difícil e agora é um verdadeiro aficionado de iluminações da época, ao ponto da loucura natalícia, em versão solidária.

Os acontecimentos que marcaram a sua vida são contados por vários meios locais e também pela “BBC“. Há vários anos que Mark Abbott é apelidado de senhor Natal pelos seus vizinhos na área de Tuckswood em Norwich, por ter, de longe a casa mais iluminada do bairro — quiçá, até do Reino Unido.

Foram 11 mil luzes de Natal no ano passado e em 2021 serão cerca de 16 mil. Mark, atualmente proprietário de uma escola de dança, transforma a casa que divide com a mulher e os três filhos numa verdadeira Lapónia iluminada durante a quadra.

Segundo o “Norwch Evening News”, além das milhares de LEDs espalhadas pelo seu terreno e fachada, o jardim da entrada tem nove renas iluminadas, um “túnel de luz” que leva até a porta da frente, uma floresta de cana-de-açúcar, máquina de neve, música ao ar livre e ainda um trenó de 2,5 metros que pode acomodar até quatro crianças.

Mark contratou inclusive uma empresa de guindastes para levar a cabo a montagem da exibição deste ano, inaugurada no passado domingo, 5 de dezembro.

A história tem um fundo social, enraizado no passado complicado de Mark. As luzes visam animar o bairro e trazer alegria natalícia a todos, claro; mas também arrecadar dinheiro — quem visita esta verdadeira atração turística local é convidado a deixar um donativo.

Os fundos são para uma instituição de caridade que ajudou o senhor Natal quando era uma pessoa em situação de sem abrigo, há cerca de 15 anos. Abbott explica que começou a colocar os expositores há oito anos, mas lembrou-se de arrecadar dinheiro no ano passado, para ajudar outras pessoas que, como ele, foram apanhadas por uma sucessão de eventos que o levaram a um período mais difícil.

“Com a pandemia, ouvem-se mais histórias de famílias que ficaram desabrigadas. Agora tenho três filhos e não consigo imaginar como é estar nessa situação com crianças”, explicou.

A vizinhança ajuda: oferece-se para colaborar na montagem, adere com as suas próprias luzes e ainda ajuda a cobrir o custo da fatura da eletricidade.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT