Na cidade

Multas mais pesadas e alterações nos semáforos: tudo o que muda nas idas à praia

A época balnear será semelhante à de 2020, mas as regras não vão ser exatamente iguais.
Não se esqueça da máscara

Na maioria dos municípios por todo o país, a época balnear arranca a 12 de junho. A menos de um mês da data prevista e com o País numa situação de relativa calma no que toca aos efeitos da pandemia, mais ou menos semelhante à que se vivia há um ano, tudo irá avançar com normalidade, embora com algumas regras novas.

Desde logo, avançou a a ministra do Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, esta quinta-feira, 13 de maio, os significados dos semáforos criados há um ano irão mudar. A sinalização desenhada para informar os portugueses sobre a lotação de cada praia irá agora ter uma nova forma de ser interpretada.

Se a praia tiver uma lotação abaixo dos 50 por cento, o sinal estará verde. De 50 a 90 por cento, o sinal estará amarelo. Só ficará vermelho caso a lotação ultrapasse os 90 por cento.

As máscaras continuam a ser obrigatórias, essencialmente nos acessos de entrada e saída, mas também nos restaurantes e nos equipamentos de apoio de praia como as casas de banho e os caixotes do lixo.

Se em 2020, o incumprimento dava apenas lugar a uma repreensão, as regras desta vez são mais ríspidas e podem dar origem a multas. De acordo com o “Jornal de Notícias”, a Polícia Marítima poderá, em caso de incumprimento, passar multas com valores entre os 50€ e os 100€.

No areal, as restantes regras mantêm-se, sendo que será necessário guardar um espaço de 1,5 metros entre toalhas e três metros entre grupos. Estão também proibidos os desportos que agrupem mais de duas pessoas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT