Na cidade

Nova campanha diz que “Chegou o Tempo” de sair e visitar o Centro de Portugal

Iniciativa foi apresentada em Aveiro e defende que a Região Centro é o "destino ideal" para a fase pós-pandemia.
A praia da Nazaré.

Das praias de Peniche aos tubos da Nazaré; das ruínas de Conimbriga em Coimbra, aos Mosteiros de Alcobaça e da Batalha; do Convento de Cristo em Tomar à Serra da Estrela; das Aldeias do Xisto, a Leiria, Aveiro, Viseu, Guarda e Castelo Branco, Obidos e Serras da Lousã, Açor e Caramulo, com trilhos pedestres incríveis e Geoparques imperdíveis.

Este ano tão invulgar onde o mote de férias é certamente ir para fora dentro do País, no Centro do País há uma imensidão de ofertas para explorar, se já só pensa em espairecer e sair de casa — com cuidados e segurança.

Esta segunda-feira, 18 de maio, o Turismo Centro de Portugal apresentou em Aveiro uma nova campanha de promoção da região, “Chegou o Tempo”, que pretende mostrar aos portugueses que o Centro é o destino indicado para ultrapassar os dias difíceis do confinamento a que estiveram sujeitos: um destino mais “seguro, mais autêntico, mais pessoal e mais sustentável”, defende a entidade do setor.

A campanha surge na sequência de uma anterior, lançada logo nos primeiros dias de pandemia, e que teve o nome de “Haverá Tempo”. Na altura, o Turismo Centro apelou aos portugueses para que ficassem em casa, dando nota de que “haveria tempo” para conhecer ou regressar à região.

E é agora a esse tempo de mudança que a nova campanha, direcionada para os mercados nacionais, quer dar eco. A mensagem transmitida pela campanha “Chegou o Tempo”, em vídeos, sports e anúncios promocionais, é a de que “chegou o tempo” de voltarmos a viver e de redescobrirmos o Centro de Portugal, “como se fosse a primeira vez”.

É também um apelo a procurarmos o que gostamos de fazer e que já não fazemos há muito tempo, como os pequenos prazeres da vida. E de ajudar aqueles em que a pandemia está a ter um enorme impacto económico. “O Turismo é uma atividade estratégica da região, que vinha com números de crescimento impressionantes. Temos consciência do impacto que esta situação está a ter sobre as empresas. Todos sabíamos que havia algo mais a fazer: foram lançados novos instrumentos de apoio, revisitamos projetos e adaptámos soluções”, explica esta entidade. “Muitas empresas estão a saber encontrar nesta crise oportunidades novas para reinventar os seus produtos”, conclui.

 

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT