Na cidade

Pandemia fez subir o preço das casas junto ao mar

Por outro lado, houve também um decréscimo do preço dos imóveis em certas zonas do País.
Se for assim, também queremos.

A pandemia trouxe muitas mudanças, não só a nível sanitário, mas também económicas e estruturais. Segundo um novo estudo do Idealista, houve uma variação nos preços dos imóveis no País inteiro — incluindo as ilhas. As alterações são notáveis, mas os preços das casas das diferentes zonas litorais flutuaram de maneiras diferentes.

Segundo os últimos dados, de abril de 2021, o preço das casas no litoral de Portugal aumentou 3,9 por cento quando comparado com o mesmo mês do ano anterior. De acordo com o estudo, cada metro quadrado acaba por custar 1.371€.

A maior subida do preço registou-se no litoral do distrito de Beja — onde ficam localidades como Vila Nova de Mil Fontes ou Odemira, onde os imóveis tiveram um aumento de 11,4 por cento face ao ano passado, valorizando cada metro quadrado nos 1.932€. Seguem-se as localizações no litoral de Aveiro, com um aumento de 10,9 por cento.

No litoral de Lisboa e do Porto houve um aumento de 5,2 por cento e 10,6 por cento, respetivamente. Foi na Ilha do Porto Santo, na Madeira, que se verificou uma menor alteração do preço em comparação com 2020, tendo aumentado 0,6 por cento.

Houve apenas quatro localizações onde houve um decréscimo do preço: na Ilha Terceira(-5,3 por cento), na Ilha de São Miguel(-3,6 por cento), no litoral do distrito de Braga (-3,1 por cento) e na Ilha da Madeira(-1,3 por cento).

De acordo com o estudo, as casas mais baratas à venda no litoral do país, encontram-se a Ilha de São Miguel, na Ilha Terceira e no litoral de Coimbra, Viana do Castelo, Braga, Aveiro e Leiria.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT