Na cidade

Apartamentos T3: foi esta a tipologia de casa em que os preços mais subiram no último ano

Novo estudo revela como os preços das diferente tipologias de casas mudaram nos últimos 12 meses.
Um T1 em Lisboa aumentou 9,4 por cento.

O site “Idealista” lançou um novo estudo onde mostra a maneira como os preços das diferentes tipologias de alojamentos evoluíram entre junho de 2020 e o mês passado. De acordo com o documento, poucas foram as tipologias que registaram quebras de preços. Por outro lado, houve várias que aumentaram consideravelmente durante este período.

Em termos globais, os preços das casas à venda em Portugal subiram 7,4 por cento nos últimos 12 meses. Foi nos apartamentos com três quartos (T3), que se verificou o maior aumento, com os preços a subir 9,6 por cento.

Imediatamente a seguir aos T3, foram os apartamentos com quatro quartos ou mais que registaram também uma alteração significativa de preço, com um aumento de 7,8 por cento. Já os apartamentos com um único quarto registaram um aumento de 7,7 por cento, enquanto os estúdios (T0) aumentaram 7,6 por cento. A evolução menos acentuada — mas que, ainda assim, registou uma subida de preço — registou-se nos T2, onde o preço aumentou 6,6 por cento.

Ao contrário do que se poderia pensar, em Lisboa não se verificou uma subida de preços em todas as tipologias. Os T4 ou mais, registaram uma descida de 1,3 por cento, seguida pela descida de preços dos T3, de 0,2 por cento. Por outro lado, foi nos T1 onde se assistiu a um maior aumento de preços (9,4 por cento), seguido pelos estúdios (6,9 por cento), pelos T2 (3,3 por cento) e pelas moradias, com um aumento de 1,5 por cento.

Contudo, no distrito de Lisboa todas as tipologias aumentaram de preço. Os T1 subiram 11,2 por cento, seguidos de uma subida de 10,4 por cento nas moradias, 9,1 por cento nos estúdios, 5,2 por cento nos T4 ou mais, 3,5 por cento nos T3 e 0,5 por cento nos T2.

Já na cidade do Porto, todas os tipos de casa tiveram aumentos de preço. Os T2 foram a tipologia que mais subiu, com um aumento de 8,5 por cento. A seguir esta tendência de subida na cidade, estão as moradias (8,3 por cento), os T3 (5,5 por cento), os estúdios (2,7 por cento), os T4 ou mais (2,4 por cento) e os T1 (0,9 por cento).

O mesmo aconteceu no distrito do Porto, onde não houve nenhuma descida no custo das diferentes tipologias. O maior aumento registado no distrito foram nos T3, onde é 11,9 por cento mais caro comprar. Seguem-se os T2 com 10,4 por cento, as moradias com 9,7 por cento, os T4 ou mais com 8,1 por cento, os estúdios com 4,9 por cento e por último os T1 com uma subida de 3,2 por cento.

Ao analisar os preços de cada tipologia no País, o idealista chegou à conclusão que os estúdios tiveram um maior aumento nos distritos de Bragança (25 por cento), na Ilha da Madeira (17,3 por cento) e no distrito de Santarém (13,6 por cento). O maior aumento dos T1 foi em Vila Real, onde subiu 24,4 por cento, no distrito de Coimbra com 19,9 por cento e no distrito da Guarda, com um aumento de 19,6 por cento.

Foi no distrito de Aveiro que os apartamentos T2 apresentaram uma maior subida de preços: 20,8 por cento. Seguem-se os distritos de Vila Real (18,1 por cento) e Braga (13,7 por cento). Os T3 aumentaram mais no distrito de Coimbra (13,9 por cento), seguido pelos distritos de Vila Real (12,2 por cento) e Porto (11,9 por cento).

Também houve algumas descidas de preços. Os estúdios diminuíram 23,8 por cento no distrito de Viana do Castelo. Os T1 tiveram o maior decréscimo no distrito de Portalegre (menos 17,5 por cento). Um T2 diminui 6,4 por cento no distrito de Bragança enquanto que os T3 não diminuíram o seu preço em nenhum distrito do País, apenas aumentaram. Quanto aos T4, apenas um distrito em Portugal viu os seus preços descerem: Portalegre (menos 5,6 por cento)

Por último, os apartamentos de maiores dimensões, os de tipologia T4 ou mais, apresentaram as maiores subidas de preço na Ilha da Madeira, com um aumento de 21,9 por cento, nos distritos de Setúbal (17,7 por cento) e Braga (11 por cento).

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT