Na cidade

Número de pessoas que sai de casa (sem ser para trabalhar) caiu para metade

Novo barómetro mostrou também uma queda nas reuniões de pessoas — e uma subida na ansiedade.

O número de pessoas que disse sair de casa sem ser para ir trabalhar caiu para metade desde 11 de dezembro, de acordo com um novo estudo divulgado esta segunda-feira, 22 de fevereiro.

Segundo o Barómetro Perceções Sociais sobre a Covid-19, apresentado pela diretora da Escola Nacional de Saúde Pública, Carla Nunes, na reunião do Infarmed, a 11 de dezembro 35 por cento dos portugueses afirmaram que saíam de casa sem ser para ir trabalhar. Este número baixou para 16,4 por cento na última quinzena: ou seja, “menos de metade das pessoas”.

De acordo com a Lusa, também o número de pessoas que disse ter-se reunido nas duas últimas semanas com um grupo de 10 ou mais pessoas que não vivem consigo, baixou: de 20 por cento na quinzena que acabou a 25 de dezembro para 1,7 por cento na última. Sobre se manteve a distância de dois metros de outras pessoas algumas vezes ou nunca quando saíram de casa, o valor mais elevado foi a 8 de janeiro, com 20 por cento, e atualmente são 8 por cento, menos de metade.

Em relação à saúde mental, na última quinzena um em cada dois inquiridos disse sentir-se ansioso, agitado, triste todos os dias ou quase todos os dias e um em cada quatro identificou-se como sentindo-se da “pior forma”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT