Na cidade

Nuvem de dióxido de enxofre do vulcão de La Palma atinge a Península Ibérica

Já se tinha verificado uma neblina nos Açores que poderia vir do vulcão. Agora parece que um novo fenómeno chega a território continental.
A situação já se faz sentir noutros países.

A evolução do vulcão em La Palma poderá ter represálias na Península Ibérica. O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) avisa esta quarta-feira que, de acordo com as previsões do modelo do Serviço de Monitorização Atmosférica do programa Copernicus (CAMS), uma “intrusão” de dióxido de enxofre com origem na erupção do vulcão Cumbre Vieja está a progredir sobre a Península Ibérica.

Esta intrusão está a ocorrer sobretudo acima dos 3.000 metros de altitude, não afetando as concentrações deste gás à superfície. O IPMA prevê que este episódio se prolongue, pelo menos, até sexta-feira, 15 de outubro.

O Instituto diz ainda estar a acompanhar de perto a evolução da situação.

Previsão da concentração de dióxido de enxofre na proximidade de Lisboa entre 11 e 16 de outubro.

Recorde-se de que recentemente se verificou uma forte neblina nos Açores, que pode ter surgido devido ao vulcão nas Ilhas Canárias.

O colapso do cone do vulcão Cumbre Vieja afetou mais de mil casas e o fluxo de lava proveniente do mesmo começou a ocupar espaço onde antes havia mar, criando até agora uma nova área de terreno na ilha que, calcula-se, já ultrapassa os 17 hectares.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT