Na cidade

O altar onde o Papa Francisco vai celebrar a missa na JML custa 4,2 milhões de euros

A estrutura onde Bento XVI celebrou a eucaristia em 2010, no Terreiro do Paço, custou 300 mil euros. Uma diferença astronómica.
O Papa Bento XVI esteve em Portugal em 2010.

Lisboa vai receber a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), o maior evento juvenil católico do mundo, entre 1 a 6 de agosto deste ano. Se tudo correr como previsto, a JMJ deverá contar com a presença do Papa Francisco — e a capital já está a preparar tudo para a sua chegada.

O altar-palco onde o Papa Francisco vai celebrar a missa final do evento, junto ao estuário do rio Tejo, em Lisboa, vai custar 4,2 milhões de euros (mais IVA), segundo o contrato publicado na semana passada no Portal Base, avançou o “Observador”. Trata-se de um valor muito superior ao que foi gasto em 2010, quando o Papa Bento XVI celebrou a eucaristia no Terreiro do Paço. A construção desse altar custou entre 200 a 300 mil euros — uma diferença astronómica. 

A discrepância de valores é justificada pelas diferenças entre as duas estruturas. O palco multiusos onde será instalado o novo altar será construído no âmbito da requalificação da totalidade do espaço que irá acolher a JMJ, situado junto à foz do rio Trancão.Vai ser elevado a nove metros do chão, com uma cobertura metálica que permite que o altar seja visto o mais longe possível” descreve a autarquia, citada pelo “Observador”. 

As previsões indicam que o Parque Tejo vai receber mais de um milhão de jovens. “Não há comparação possível entre o altar onde o Papa Bento XVI celebrou uma missa em 2010 em Lisboa e o palco do Parque do Tejo. Em primeiro lugar, a Jornada Mundial da Juventude é um evento de uma magnitude não comparável à de uma visita Papal”, justifica a autarquia.

O palco montado no Terreiro do Paço foi integralmente desmantelado no final das cerimónias relacionadas com a deslocação de Bento XVI, enquanto grande parte da estrutura que será construída para receber o Papa Francisco irá manter-se.

A obra do altar foi cedida à construtora Mota-Engil pela SRU ‒ Sociedade de Reabilitação Urbana, empresa municipal da Câmara Municipal de Lisboa que está responsável pelas obras no Parque Tejo, espaço que irá acolher o evento juvenil católico. O contrato foi assinado no dia 13 de janeiro e a construtora terá 150 dias para concluir o projeto, pelo que o altar-palco deverá estar pronto entre junho e julho deste ano.

As inscrições para participar neste mega evento abriram em outubro e, apesar dos valores elevados, já estão inscritos mais de 400 mil jovens, anunciou o Papa Francisco na passada sexta-feira, 20 de janeiro. Para os que querem estar presentes em todos os dias da Jornada Mundial da Juventude, o passe custa 235€ (com alimentação, alojamento, transportes, seguro e kit JMJ incluídos). Quem quiser participar apenas nos eventos do fim de semana com o Papa, também com tudo incluído, pagará 125€. Para os voluntários, a inscrição custará 145€.

A Jornada Mundial da Juventude foi uma iniciativa criada em 1985 por João Paulo II. A primeira JMJ realizou-se em Roma, Itália, no ano seguinte. Em 2019, o evento aconteceu no Panamá e os preços das inscrições variavam entre os 96€ e os 253€. Foi nessa edição que anunciaram a escolha de Lisboa para a realização da jornada seguinte, que acabou por não se realizar no ano previsto, 2022, devido à pandemia.

A JMJ em Lisboa deverá contar com a presença do Papa Francisco. Será a segunda visita do Sumo Pontífice a a Portugal e poderá coincidir com a beatificação da Irmã Lúcia, cujo processo já está a decorrer.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT