Na cidade

O festival de viagens onde aprende a dar a volta ao mundo só com uma mala

O Minimalist Travel Festival acontece em Loures e inclui vários workshops. Num deles vai descobrir como pode ganhar dinheiro enquanto viaja.
As suas viagens nunca mais serão as mesmas.

O Minimalist Travel Festival é atualmente o único festival de viagens que decorre a Sul de Portugal e, tal como o nome indica, o foco está no minimalismo. Este ano, decorrerá a 28 de maio no Palácio dos Arcebispos (Santo Antão do Tojal, em Loures).

A iniciativa foi criada por Gonçalo Cruz, um viajante profissional cuja maior aspiração é conhecer todos os países do mundo antes de completar 50 anos. Está longe de concluir o objetivo, mas isso não é um problema. “Quero envolver-me com as pessoas, conhecê-las”, conta à NiT. “Quero muito tentar visitar o maior número de destinos enquanto aprecio o processo. Não quero apenas ganhar mais um carimbo.”

Admite que viajar nem sempre foi a sua paixão, mas há 13 anos, o sentimento alterou-se. “Fui de Erasmus para a Itália quando tinha 23 anos e a minha vida mudou por completo.” Começou a levar aquilo muito a sério, e entre 2016 e 2017 fez uma viagem à volta do mundo. Foi durante o percurso que surgiu um dos seus negócios: o The Travel Tool Kit. “Quando andava pelo mundo comecei a perceber que me faltavam coisas que faria sentido ter, mas não tinha“, recorda.

Procurou kits com produtos essenciais mas não teve grande sorte. A situação ficou gravada na sua memória e começou a pensar em soluções para que não voltasse a acontecer. O conjunto que criou — que está à venda por 69,99€ — é útil a qualquer pessoa, independentemente do género, duração da viagem ou estação do ano em que irá viajar.

A embalagem de 800 gramas inclui 15 produtos. Uma garrafa de água feita com silicone médico que se pode dobrar até ficar do tamanho de um punho, é um deles. Também inclui uma almofada insuflável que se enche com dois sopros, uma escova de dentes de bambu, toalhas, entre outros. Optou por “objetos que fossem compactos e que não ocupassem muito espaço.” É um kit minimalista, explica-nos.

“O minimalismo é um estilo de vida que também se aplica neste caso. A viagem é mais a experiência do que propriamente aquilo que levamos às costas.” Para o viajante de 36 anos, que parte esta quinta-feira para a Irlanda do Norte, os objetos não têm de se focar na moda, mas sim no praticismo. “Levar o menos possível e aproveitar as coisas ao máximo”, aconselha Gonçalo Cruz. “Não precisa levar muita bagagem, o convívio é o mais importante. Anda tudo à volta da experiência”, realça.

O festival que organiza também gira em torno do minimalismo, daí o nome. É a segunda edição do evento. A primeira decorreu em maio de 2021 — embora estivesse originalmente marcada para novembro de 2020, mas tal não foi possível devido à pandemia. “O objetivo é educar e inspirar quem participa no festival. É uma oportunidade para as pessoas descobrirem como podem tornar as viagens mais conscientes e responsáveis.”

Antes do arranque do evento, poderá assistir a vários workshops no Palácio dos Arcebispos, entre as 8 e as 11 horas. Os visitantes podem ficar a conhecer várias dicas e estratégias que os ajudarão nas próximas viagens. Numa das sessões, por exemplo, serão indicadas formas de poder ganhar dinheiro enquanto viaja. Os preços de entrada nestas atividades começam nos 15€.

O evento principal, porém, começa às 11 da manhã, e prolonga-se até às 23 horas. Serão 12 horas de palestras e concertos, com escritores, bloggers e líderes de viagens, reconhecidos nacional e internacionalmente. Filipe Morato Gomes, Nuno Cruz, Rui e Carla Mota, Filipa e Diogo Frias, Rafael Polónia, Diogo Tavares, Pedro Padinha, Tania Muxima e António Luís Campos serão os palestrantes.

“A ideia do festival é juntar o pessoal que tem mais conhecimento e que faz viagens fora da caixa, como a Filipa e o Diogo que estiveram no Iraque, e vão partilhar esses destinos com o público, enquanto contam as suas histórias”, explica o criador do Minimalist Travel Festival. A escolha do artista musical, que este ano será André Navarro, também tem uma história. Gonçalo Cruz descobriu o cantor quando atuava na Baixa de Lisboa.

No recinto exterior irá encontrar bancas de comidas e bebidas, com vinhos, cervejas artesanais, entre outros. O objetivo destas barraquinhas é apoiar o comércio local de Loures. O bilhete para o evento custa 25€.

 

 

 

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT