Na cidade

O incrível poço azul escondido num dos lugares mais remotos (e belos) do nosso País

Muitos pensavam que a tonalidade azul-turquesa se devia ao reflexo do céu ou a entradas específicas de luz, mas não é o caso.
E incrível.

Quando a série australiana “H2O” estreou, em meados dos anos 2000, foi um sucesso imediato. A aventura das três adolescentes que se tornaram sereias, exibida na SIC, foi considerada uma das melhores produções da década — muito devido às paisagens paradisíacas que serviam de cenário à história. Todos queriam mergulhar na incrível lagoa com águas azuis-turquesa que tinha poderes mágicos.

A série foi filmada na costa australiana, mas não é preciso ir até tão longe para encontrar um cenário semelhante. Na ilha de São Miguel, nos Açores, também existe um “poço azul” de singular beleza.

Situado num dos locais mais remotos da ilha, na freguesia da Achadinha, no concelho do Nordeste, a lagoa de águas límpidas e a sua famosa gruta são dois dos destaques da região. E mais: quem se aventurar um pouco mais além, encontrará várias cascatas pequenas e bonitas. 

Muitos pensavam que a tonalidade azul-turquesa, tão bonita que nem parece real, se devia ao reflexo do céu ou a entradas específicas de luz, como acontece em certas lagoas, mas não é o caso. A explicação é, na verdade, geológica: a cor reflete a elevada presença de cobre, originada pelo tipo de explosões vulcânicas da formação das rochas que a reveste.

Os mais corajosos podem dar um mergulho, mas preparem-se: a água é bastante fria. Além disso, não é controlada nem vigiada por nadadores-salvadores.

Apesar de estar escondida, o percurso para conhecer esta maravilha natural é de fácil acesso — e bastante curto. O pequeno passeio começa e termina na Achadinha, freguesia que vive essencialmente da agricultura e da produção de leite, pelo que não deverá demorar mais do que uma hora.

A famosa lagoa azul dos Açores pode ser visitada percorrendo três trajetos diferentes. O mais conhecido (e curto) é o Trilho do Poço Azul, com cerca de 1,3 quilómetros de extensão, que demora cerca de meia-hora a percorrer.

O percurso começa no padrão histórico das Alminhas — um monumento construído em 1957 que simboliza o desembarque das forças liberais da Terceira em São Miguel durante a Guerra Civil Portuguesa —, bem no centro da cidade. É lá que vai encontrar as indicações e sinalizações que deve seguir para chegar à lagoa. Pelo caminho, terá ainda uma vista incrível sobre o oceano.

Outra alternativa é percorrer o Trilho das Terras do Nosso Senhor, que se estende ao longo de quatro quilómetros. Inaugurado em agosto de 2016, é um percurso verdejante que demora cerca de duas horas a concluir. O ponto de encontro é o mesmo, mas durante o trajeto irá passar por várias pequenas cascatas. 

Como a área é atravessada por vários canais, como as ribeiras do Cachaço e dos Coelhos, se fizer o percurso ao longo das margens irá encontrar, inevitavelmente, quedas de água.

Já o Trilho do Padrão das Alminhas, com cerca de cinco quilómetros, é o mais diversos em termos paisagísticos. Liga as localidades de Achadinha e Salga, e inclui pontos de referência, como uma ribeira, várias cascatas e uma praia. O percurso começa junto ao padrão, passa pela Casa da Cultura João Melo e segue em direção ao Poço Azul. Durante o trajeto, vai atravessar uma ponte de madeira e terá oportunidade de apreciar a beleza do Salto da Farinha, uma queda de água de 40 metros. 

Carregue na galeria para ver algumas imagens do Poço Azul, em São Miguel, nos Açores. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT