Na cidade

O novo baloiço com vista para o rio Tejo fica num dos spots mais tranquilos do País

Bico da Goiva tem também um parque de merendas, capelas, e monumentos do século XVII.
Imagem do Instagram de @ricardo_s7

Ao contrário de muitos outros baloiços que apareceram nos últimos meses um pouco por todo o País, o novo baloiço de Salvaterra de Magos não foi criado a pensar no Instagram — apesar de convidar a isso. Aqui, o principal foco é oferecer uma união entre os visitantes e a natureza que os rodeia.

“O baloiço oferece a oportunidade de ver a Vala Real, a sua beleza, com a passagem dos pescadores, com a passagem das embarcações. Tem também um parque de merendas”, explica à NiT Hélder Manuel Esménio, o atual presidente da Câmara Municipal de Salvaterra de Magos.

Este parque de merendas — que também se transformou rapidamente num sucesso não só entre quem ali mora, mas também entre aqueles que vinham de terras vizinhas e das diferentes zonas do País — surgiu um ano antes do novo baloiço, após uma reabilitação daquele local à beira do Rio Tejo.

Até então, estava abandonado, cheio de lixo e com uma vegetação densa que ofuscava a beleza do lugar. Desde então, o investimento na manutenção do Bico da Goiva tem-se tornado num fator anual da Câmara Municipal. “Quando falamos de uma intervenção de limpeza estamos a falar de qualquer coisa próxima — por ano — dos 20 mil euros”, diz o autarca.

A vegetação morta foi substituída por árvores que rodeiam o baloiço, oferecendo sombra a todos os que lá ficam.

Ali, a tranquilidade reina. Fotografia: Andarilho

O Bico da Goiva não é, contudo, apenas um parque de merendas embelezado com um baloiço. No rio é possível verem-se pescadores, operadores turísticos, embarcações e desportos aquáticos, nomeadamente a canoagem, uma das grandes apostas desportivas de Salvaterra de Magos. Pode encontrar também “uma pequena edificação, que na prática pode funcionar como um local para fazer uns grelhados.”

Caso se queira aventurar para além da zona do baloiço e do parque de merendas, ao percorrer a Vala Real é garantido que encontrará a Marina, o Celeiro da Vala Real que, após ser recuperado, apresenta agora artefactos da Instituição Real, a Falcoaria Real.

“Tem depois também um conjunto de igrejas: a Capela da Misericórdia, a igreja matriz e a Capela do antigo Paço Real de Salvaterra de Magos”, adianta Hélder Esménio.

A Marina de Salvaterra de Magos.

O novo baloiço de Salvaterra de Magos oferece muito mais além do que já mencionámos e isso é a primeira coisa que vemos assim que lá nos sentamos, visto que no assento do baloiço podemos ler “Sentar e sentir”. A natureza e as paisagens são as verdadeiras estrelas do Bico da Goiva e da Vala Real. “Permite maravilhosos pores do sol e uma vista extraordinário sobre o rio.” As aves também fazem companhia a todos aqueles que ali param, seja para almoçar, lanchar ou mesmo só para descansar.

Chegar até ao baloiço é fácil: em Salvaterra de Magos tem de seguir as placas que indicam a Aldeia de Escaroupim. Ao sair de Salvaterra vira à esquerda para uma estrada de terra batida. Após percorrer essa estrada durante 1,5 quilómetros, estará na nova atração de Salvaterra de Magos.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT