Na cidade

O novo hub da Uber em Lisboa tem 5 pisos e zonas de sestas, ioga e jogos

A marca investiu mais de 90 milhões de euros neste centro que funciona como a principal fonte de conhecimento sobre tecnologia da Uber no sul da Europa.
Fotografia © Manuel Manso

Surgiu em Portugal pela primeira vez em 2014 e, na altura, tinha apenas quatro trabalhadores. Hoje, sete anos depois, há mais de 400 pessoas de 28 nacionalidades a trabalhar para a Uber – e o objetivo é continuar a aumentar.

A Uber tornou-se um verdadeiro caso de sucesso no setor da mobilidade e dos serviços em cidade, chegando a praticamente todo o País com uma opção de mobilidade mais eficiente e sustentável. Esta quinta-feira, 16 de setembro, a marca deu mais um passo na sua afirmação em Portugal e inaugurou oficialmente o seu hub criativo em Lisboa, um investimento de 90 milhões de euros num centro de operações que funcionará como uma fonte de conhecimento sobre utilizadores, motoristas, parceiros de entrega e de desenvolvimento de produto e tecnologia da Uber – não só de Portugal mas de toda a região do sul da Europa. 

Bem no centro da cidade, junto a uma das saídas do Metro do Campo Pequeno, o primeiro escritório da empresa em Portugal tem cinco pisos e mais de 3500 metros quadrados. É por lá que os colaboradores da Uber vão poder trabalhar de forma híbrida e flexível e é também a partir de lá que vai ser possível gerar inovação, conhecimento e apoio ao cliente – como é o caso, por exemplo, do apoio urgente de equipas de fraude ou de resposta a incidentes e de segurança da Uber.

Além disso, é neste hub que vão ser desenvolvidos processos e produtos para a região, direcionados para a melhoria da experiência de utilizadores, motoristas, parceiros de entrega, restaurantes, retalhistas e outros parceiros de negócio. A sede em Portugal reúne talento de 28 países com mais de 10 áreas de especialização como Qualidade, Formação & Desenvolvimento, Analytics, Gestão de Projecto, Operações, Marketing ou Comunicação, tanto da Uber como da Uber Eats. 

No espaço há locais de trabalho em formato open space, uma zona de refeições enorme com bebidas e snacks todos os dias, uma nap room (sala da sesta, em tradução livre) e zonas de jogos (como matraquilhos e ténis de mesa) e ioga. Há também uma zona reservada às bicicletas que os trabalhadores utilizem para se deslocarem na cidade. Tudo por um mundo com uma mobilidade mais sustentável.

Fotografia © Manuel Manso

Aos 400 trabalhadores da Uber que ocupam os cinco pisos do edifício no centro da capital vão-se juntar muitos mais. A empresa planeia contratar mais 200 colaboradores até ao final de 2021. “Hoje queremos reforçar o nosso compromisso para com Portugal e a vontade de continuar a investir neste país. Já fizemos um investimento de 60 milhões de euros e pretendemos investir mais 30 milhões nos próximos quatro anos. Portugal tem profissionais de excelência e também capacidade para atrair os melhores talentos para trabalhar na Uber e viver em Lisboa”, disse Régis Haslé, diretor sénior de operações de cliente na Europa, Médio Oriente e África.

Além de concentrar toda a atividade de Portugal, o hub criativo vai oferecer suporte a nove países europeus, incluindo França, Espanha, Itália, Grécia, Israel, Turquia, Alemanha e Croácia. Há ainda a possibilidade deste centro poder comandar o suporte de mais países. O objetivo, segundo Manuel Pina, diretor-geral da Uber em Portugal, é “atrair os melhores talentos” para este espaço, permitindo “criar uma comunidade e uma partilha de experiências única”.

A NiT esteve presente na inauguração oficial do novo hub da Uber, que contou com a presença de várias figuras do Estado, entre elas João Torres, secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor; e Eduardo Pinheiro, Secretário de Estado da Mobilidade. Durante a apresentação foi mencionada a importância do investimento em cidades portuguesas como Lisboa, a excelente capacidade que o nosso País tem para receber estes projetos inovadores e a relevância das novas opções de mobilidade fiável, segura e sustentável para as famílias.

Anabel Diaz, diretora-geral regional de rides na Europa, Médio Oriente e África, explicou também que Portugal tem atualmente uma cobertura a 100% pelos serviços da Uber, mas que o objetivo é continuar a expandir, sobretudo no que respeita à sustentabilidade ambiental. É por isso que a Uber mantém os seus planos de descarbonização como uma das prioridades. Até 2025, a empresa de mobilidade quer que 50% das viagens sejam feitas de forma livre de emissões. 

A Uber iniciou operações em Portugal em 2014 e desde então tem crescido ao disponibilizar uma alternativa de mobilidade em praticamente todo o território português, bem como o serviço de entrega do Uber Eats, que já cobre mais de 75% do território português.

Fotografia © Manuel Manso

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT