Na cidade

O próximo destino trendy de slow travel fica a uma hora de Lisboa, prevê a “Forbes”

A revista norte-americana descreve a vila de pescadores como “um destino para quem aprecia a natureza (e não apenas praias)”.
É o paraíso dos surfistas.

Aparecer como sugestão na prestigiada revista “Forbes” é sinónimo de reconhecimento mundial — um feito que não é fácil de alcançar. Desta vez, a publicação norte-americana não publicou uma simples lista com os melhores destinos a visitar este ano, mas dedicou um artigo inteiro a uma vila pitoresca e encantadora que fica a cerca de uma hora de Lisboa. Em Portugal, todos a conhecem; lá fora, é considerada “um paraíso”.

A Ericeira, frisa o texto, não é propriamente “uma nova descoberta”. E “já está no radar há algum tempo — pelo menos para os surfistas que preferem fugir às gigantescas ondas da Nazaré”. Com ondas mais acessíveis (e menos perigosas), a vila portuguesa é a única reserva de surf da Europa. Contudo, não é apenas um destino interessante para amantes da modalidade.

“A cidade em si mantém muito do charme da vila de pescadores que já foi”, destaca a publicação. Apesar de ser uma localidade costeira e cheia de cafés, curiosamente, ainda não tinha um hotel de cinco estrelas. Até este verão. A “Forbes” não deixou de mencionar a abertura de novas duas unidades hoteleiras que ficam a uma curta distância de carro da vila.

“É certo que a Ericeira dificilmente se tornará a nova Comporta, pelo menos, não tão cedo. Mas agora está a transformar-se num lugar que promete a tornar-se uma marca e o próximo destino trendy de slow travel. É um destino para quem aprecia a natureza (e não apenas praias), design elegante, materiais de boa qualidade e boa comida”, lê-se no artigo.

O primeiro hotel de cinco estrelas a abrir nos arredores da Ericeira foi o Immerso, no dia 5 de junho — uma das inaugurações mais esperadas do ano. Situado num vale com vista para o mar, o maior luxo desta nova unidade hoteleira é sem dúvida o contacto com a natureza. Dispõe de 37 quartos, sendo que dois deles são suites. Todos os quartos têm vista para o mar, varanda e uma janela enorme que ocupa toda a parede do quarto.

O projeto de arquitetura tem a assinatura de Tiago Silva Dias que, juntamente com a proprietária do hotel, Alexandra Almeida d’Eça, e a designer Bárbara Neto, da LemonVariance, foram os responsáveis por dar vida ao interior do hotel. “O design é simples, com tapetes tecidos em cores naturais, formas orgânicas, móveis artesanais e texturas da terra e do mar”, destaca a “Forbes”.

Recentemente, o Aethos também se juntou à oferta hoteleira de luxo da Ericeira e, assim como o primeiro hotel, prioriza a natureza, a comunidade, o bem-estar e o design. Fica no topo de uma falésia numa reserva natural e tem vistas encantadoras sobre o Atlântico.

Desenhado pelo estúdio de Barcelona Astet e pelo arquiteto português Luís Pedro Silva, a unidade hoteleira dispõe de 50 suites e quartos que “misturam tons, materiais e texturas naturais com a simplicidade suave do design modernista”. Como é característico dos empreendimentos do grupo, também este mergulha na cultura local, com uma oferta adaptada ao que se espera encontrar na região. As referências ao surf não podiam faltar: há cacifos para os surfistas guardarem as pranchas e os fatos e um espaço de retail com marcas portuguesas. 

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT