Subscreva a nossa newsletter para receber as melhores sugestões de lifestyle todos os dias.

Na cidade

O que é melhor: comprar ou alugar casa? Há um guia que tem os prós e contras de cada um

Doutor Finanças explica tudo o que precisa de saber quando quer mudar de casa.
Todos temos as mesmas dúvidas

Quer seja quando somos novos e queremos sair de casa dos pais, quando casamos ou aumentamos a família, para ir para uma nova cidade ou simplesmente porque nos apetece mudar, somos confrontados com a mesma dúvida várias vezes ao longo da vida: comprar casa ou alugar?

Para facilitar a escolha ou, pelo menos, para estar mais consciente de tudo o que implica cada uma das opções, o Doutor Finanças, uma empresa especializada em finanças pessoais, acaba de lançar um artigo que explica tudo o que precisa de saber na hora de procurar casa. Vale a pena dizer já à partida que não há apenas uma resposta ou uma solução que sirva a todos. É uma questão que depende da situação particular de cada um.

Começando pela ideia mais tradicional de querer comprar uma casa que um dia será mesmo nossa — quando acabarmos de pagar o empréstimo ao banco — e que, romanticamente, passará de geração em geração, nem tudo é assim tão simples.

Claro que há essa segurança de a casa vir a ser mesmo nossa e de podermos pendurar quadros ou construir um mega closet sem ter de pedir licença a ninguém. No entanto, toda a manutenção fica também a nosso cargo, o que pode significar grandes gastos com obras em alguns casos.

Há logo um ponto muito importante que deve estar já preparado na sua mente: vai ser preciso pagar inicialmente um grande conjunto de taxas e comissões, tanto ao banco onde pedir o empréstimo como ao Estado. E, claro, os bancos só emprestam um máximo de 90 por cento do valor da casa.

Assim, ao comprar casa há ainda riscos como a subida repentina de juros se escolhermos uma taxa variável — é melhor fazer logo contas e perceber se vai conseguir continuar a pagar as prestações mensais caso haja esse aumento.

Para quem está a pensar comprar mas já com ideia de vender daqui a uns anos, convém ter em mente que, mesmo que a maioria das zonas tenha uma tendência para subir, poderá também haver uma desvalorização do imóvel.

Porém, nem tudo é assim tão mau: comprar uma casa também tem as suas vantagens em relação ao arrendamento. Por comparação, as taxas a pagar mensalmente ao banco pelo empréstimo costumam ser mais baixas do que a maioria das rendas. Por outro lado, é mais um bem a juntar ao seu património e tem a segurança de não ter um limite de permanência imposto por um contrato.

Quando olhamos para o lado do arrendamento também há prós e contras a ter em conta na sua decisão. Ao contrário do que falámos sobre uma casa comprada, a que é alugada tem uma responsabilidade de cuidado acrescida, uma vez que não pode furar paredes ou fazer obras como lhe apetecer.

Ainda assim, para quem tem um trabalho que exige maior mobilidade ou goste simplesmente de mudar de casa ou de cidade com frequência, o arrendamento pode ser melhor. Estas pessoas podem também planear mais facilmente os gastos que vão ter a longo prazo com a habitação porque os contratos são longos e não há imprevistos de obras que tenham que pagar.

Entre os inconvenientes de alugar casa, o maior deles talvez seja a possibilidade de rescisão antecipada do contrato por parte do senhorio ou a não renovação, uma vez que vai colocá-lo na situação de ter que arranjar nova casa num período curto de tempo.

Todas as dicas, bem como exemplos práticos e simuladores, podem ser encontrados no site do Doutor Finanças.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT