Na cidade

Operação “Páscoa em Casa”: PSP avisa que vai apertar fiscalização esta semana

Com a proibição de circulação entre concelhos e o dever de recolhimento, a polícia vai estar muito presente, garante.
Imagem de Paulo Fernandes, partilhada pela PSP.

Já sabe: durante quase 11 dias seguidos, desde a meia noite desta sexta-feira, dia 26 e as 5 horas de 5 de abril (segunda-feira depois do domingo de Páscoa), não pode sair do seu concelho, embora haja as exceções: como deslocações para desempenho de funções profissionais conforme atestado por declaração emitida pela entidade empregadora, por motivos de saúde e para cumprimento de responsabilidades parentais.

É ainda mantido o dever de recolhimento obrigatório em casa, como a NiT já lhe explicou, mostrando tudo o que pode e não pode fazer nesta Semana Santa tão diferente.

E para vigiar tantos portugueses, no cumprimento ou não de tantas regras, a PSP lançou uma mega operação, com um nome de código claro: “Páscoa em Casa”.

Em comunicado citado pela “RTP“, a polícia garante que vai estar “mais presente na via pública” no período da Páscoa, criando um dispositivo com “grande visibilidade, para apoio à população e fiscalização do cumprimento das normas em vigor no atual estado de emergência”.

“A PSP manter-se-á presente e com grande visibilidade, para apoio à população e fiscalização do cumprimento das normas em vigor no atual estado de emergência, particularmente nos locais de maior concentração (potencial) de pessoas”, frisa a mesma nota, apelando a que as pessoas cumpram as medidas e se mantenham em casa, sempre que possível.

A presença policial deverá ser sobretudo notada “nos interfaces dos meios de transporte coletivo, principais eixos rodoviários, nós de circulação inter-concelhia, parques e zonas ribeirinhas e outros que, pelas características naturais, potenciem forte afluxo de pessoas”.

Recorde-se que as multas para cidadãos individuais por desrespeito do dever de recolhimento, proibição de circulação e o uso de máscara estão agora definidas entre os 200€ (mínimo) e os mil euros, sendo indicada a sua aplicação imediata. “O governo pretende garantir que a Páscoa não é um momento de deslocação e de encontro, mas, pelo contrário, mais um momento de confinamento”, disse o primeiro-ministro aquando da apresentação das medidas de desconfinamento.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT